Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Caça F-22 dos EUA faz pouso de emergência no Alasca

Nesta quarta-feira (11), um caça de quinta geração F-22 Raptor da Força Aérea dos EUA fez um pouso de emergência em uma base militar no Alasca, de acordo com a agência AP.
Sputnik

De acordo com a agência, a aeronave aterrissou na base de Elmendorf-Richardson, na cidade de Anchorage, devido a uma falha no funcionamento do chassi de aterrissagem.

As imagens do acidente divulgadas pelo Facebook demonstram que uma das rodas não saiu e a aeronave acabou pousando sobre sua asa esquerda.

O piloto saiu ileso. Entretanto, a porta-voz da Força Aérea dos EUA, Erin Eaton, informou sobre o início de uma investigação da ocorrência.

Outros acidentes

O avião F-22 é um caça bimotor monolugar produzido pela corporação norte-americana Lockheed Martin. A Força Aérea dos EUA conta com 186 aeronaves do modelo.

Em abril, foi registrada uma falha de motor em um F-22 durante a decolagem da base aérea de Fallon, como resultado a aeronave acabou caindo sobre a pista.

Outro acidente, que também ocorreu em abril, teve lu…

Embaixada dos EUA em Jerusalém 'dá vida a conflito religioso', diz autoridade palestina

A transferência da embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém "marca o fim de uma era" em que Washington apoiou a solução de 2 Estados para o conflito palestino-israelense e, em vez disso, intensifica o conflito religioso, embaixador palestino nos Estados Unidos Husam Zomlot disse nesta segunda-feira (14).


Sputnik

A embaixada dos Estados Unidos em Israel abrirá oficialmente em Jerusalém nesta-segunda-feira (14). Essa transferência diplomática provocou uma preocupação generalizada devido ao fato que Jerusalém está no centro do conflito entre Israel e Palestina.

Jerusalém
Jerusalém | CC BY-SA 2.0 / Dan

“A mudança de hoje da embaixada dos EUA dá vida a um conflito religioso em vez de uma paz digna […]. Este movimento marca o fim de uma era em que os Estados Unidos lideraram esforços internacionais para supostamente alcançar a solução de 2 Estados, acabando com a ocupação israelense que começou em 1967 incluindo Jerusalém Oriental", disse Zomlot em um comunicado.

Além disso, Washington abandonou seu papel de pacificador, aumentando ainda mais a “incerteza” na Palestina, enfatizou o embaixador.

Israel se apoderou da então Jerusalém Oriental, então controlada pela Jordânia, durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Já em 1980, o parlamento israelense adotou a Lei de Jerusalém proclamando toda a cidade como capital de Israel.

A comunidade internacional não reconhece a anexação e acredita que o status de Jerusalém deve ser acordado com os palestinos, que reivindicam sua parte oriental como a capital de seu futuro Estado.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas