Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Donetsk declara estar em prontidão de combate para se defender de suposta ofensiva de Kiev

Os destacamentos da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) estão em prontidão de combate total e completamente equipados com todo o necessário para o caso de haver uma possível ofensiva das Forças Armadas da Ucrânia em Donbass, declarou aos jornalistas o vice-comandante da Milícia Popular da RPD, Eduard Basurin.
Sputnik

Anteriormente, Donetsk denunciou a preparação de um grande ataque por parte de Kiev no sul da região de Donetsk com uso de veículos blindados pesados, artilharia e lançadores múltiplos de foguetes.


Segundo dados da inteligência, a ofensiva foi programada para 14 de dezembro com o objetivo final de tomar sob controle a fronteira com a Rússia. O líder da RPD, Denis Pushilin, declarou por sua vez que as forças de Donetsk estavam prontas para repelir o ataque.

"Todas as unidades militares foram colocadas em prontidão de combate total. Desde o momento em que recebemos informação sobre a preparação de uma ofensiva em grande escala do lado ucraniano, os nossos des…

Especialista holandês: tudo aponta que Ucrânia é culpada pela catástrofe do MH17

A promotoria holandesa afirmou possuir provas de que o sistema de mísseis que em 2014 abateu o avião civil da Malaysia Airlines, sobre o sudoeste da Ucrânia, pertencia às Forças Armadas russas. O correspondente da Sputnik pediu a opinião do proeminente cientista político da Holanda, Kees van der Pijl.


Sputnik

Comentando a coletiva à Sputnik Internacional, o analista destacou que não foi divulgada nenhuma informação nova quanto ao assunto. Segundo ele, o mais notável foi o apelo às testemunhas após quatro anos decorridos desde a catástrofe.

Buscas no local da queda do avião Boeing do voo MH17
Local da queda do voo MH17 © Sputnik / Andrei Stenin

"A maior parte dos presentes fazia perguntas muito simples, mas a última foi de uma mulher da TV australiana, ela disse: 'Se vocês ainda estão pedindo para as testemunhas aparecerem, isso soa bastante desesperado', e eu senti o mesmo", assinalou.

"Eu pensaria que à luz da Copa do Mundo na Rússia, que virá à tona daqui a três semanas, o caso Skripal e esta coletiva, em que familiares dos falecidos na catástrofe afirmaram que 'os russos querem viver em um país sem verdade' – tudo isso faz parte de uma campanha antirrussa", afirmou Kees van der Pijl.

Ele se disse surpreendido porque "tudo aquilo justificava tão pouco a realização de uma coletiva de imprensa oficial".

O analista apontou para que todos os fatos responsabilizam a Ucrânia pela catástrofe que aconteceu no sudeste ucraniano em 2014.

"Quatro regimentos ucranianos possuem sistemas de defesa antiaérea Buk, e um deles se encontrava naquela área. Todos seus radares estavam ativados, o que significa que o sistema estava preparado para combate", opinou.

Kees van der Pijl assinalou que Kiev, tal como a OTAN, tinham motivos para desencadear uma provocação contra a Rússia.

"Acredito que tudo aponte para a Ucrânia, porque eles tinham um motivo, precisavam de tempo para avançar, entretanto também havia um motivo por parte da OTAN – mostrar o presidente russo, Vladimir Putin, como se fosse um novo demônio a quem era preciso resistir, porque naquela época em Gales estava decorrendo uma importante cúpula da OTAN."

O especialista qualificou a conferência como "extremamente inconvincente".

"Eu não entendi porque ela estava sendo realizava exatamente agora, o que havia de novo que não sabíamos antes? Parecia que eles precisavam inventar algo, mas não tinham nada, por isso resolveram utilizar informações antigas", ressaltou o analista.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas