Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Rússia testará novo avião de transporte militar até o final do ano

Il-112V deverá substituir modelos soviéticos An-24 e An-26, considerados obsoletos.
Nikolai Litôvkin | Russia Beyond

A nova aeronave de transporte militar Il-112V completou os testes de fábrica e está sendo preparada para o primeiro voo, que está previsto para o final de 2018.


Caso os testes sejam bem sucedidos, o Il-112V substituirá nas Forças Armadas russas os modelos An-24 e An-26, desenvolvidos no início dos anos 1960.

O Ilyushin Il-112 é um avião de transporte militar leve de asa alta que está sendo desenvolvido pela Ilyushin Aviation Complex para transporte de cargas militares, equipamentos e pessoal.

Sua capacidade de carga máxima "útil" a bordo será de até cinco toneladas.

Os projetistas pretendem desenvolver duas versões do avião: uma com hangares estendidos para o transporte de equipamentos militares, carga e soldados; e outra, civil, para o transporte de passageiros e carga leve.

O Il-112V é um monoplano com configuração aerodinâmica tradicional e dois poderosos motores…

EUA deveriam ficar no acordo nuclear iraniano, diz diplomata chinês

O enviado especial da China para assuntos do Oriente Médio, Gong Xiaosheng, disse que todas as partes envolvidas no pacto nuclear do Irã devem manter o acordo e usar o diálogo e a negociação para resolver a disputa, informou a agência oficial chinesa Xinhua nesta quarta-feira (9).


Sputnik

Segundo a Xinhua, Xiaosheng fez esta declaração após reunião com oficiais iranianos e afirmou que Pequim procura fortalecer a cooperação com todas as partes envolvidas no pacto nuclear do Irã.


A bandeira da República Popular da China e as Estrelas e Listras dos Estados Unidos tremulam pela Avenida da Pensilvânia, perto do Capitólio dos EUA, durante a visita de Estado do presidente chinês, Hu Jintao em 18 de janeiro de 2011 (foto de arquivo).
© REUTERS / Hyungwon Kang

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou os Estados Unidos do acordo nuclear internacional na terça-feira. A pacto diplomático foi costurado pelo então presidente Barack Obama e outras cincos potências mundiais (China, Rússia, França, Reino Unido e Alemanha). Em troca da suspensão de sanções contra sua economia, o Irã aceitou limitar seu programa nuclear a fins pacíficos.

Trump alega que Teerã não cumpre as regras do acordo e que Washington quer impedir que o país do Oriente Médio consiga uma bomba nuclear.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas