Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

EUA e Turquia se enfrentam pela capital do Curdistão sírio

Washington e Ancara estão levando a cabo intensas negociações em torno de Manbij, a capital do Curdistão sírio, comunicou à Sputnik Turquia o comandante da Divisão Sultan Murad, Ahmed Osman.


Sputnik

Esta unidade faz parte do Exército Livre da Síria, que participou junto com as forças turcas da Operação Ramo de Oliveira contra as formações curdas em Afrin.


Soldado norte-americano em Manbij, norte da Síria, 4 de abril de 2018
Tropas norte-americana na Síria © AP Photo / Hussein Malla

"Pretendemos assumir o controle desta cidade sem recorrer às forças armadas. No entanto, se não chegarmos a um acordo, a Turquia e o Exército Livre da Síria começarão uma nova operação militar", explicou, acrescentando que a oposição síria se encontra bem preparada para esta ofensiva.

Osman assegurou que "Manbij será tomada muito mais rápido do que Afrin", já que na capital do Curdistão sírio residem menos civis e curdos das Unidades de Proteção Popular (YPG, por suas iniciais em curdo), consideradas por Ancara como um grupo terrorista.

"O único problema é a presença dos norte-americanos em Manbij", frisou. É por isso que Ancara e os EUA precisam negociar sobre a questão, disse.

O comandante do Conselho Militar de Manbij, pertencente às Forças Democráticas da Síria (FDS) compostas por curdos, Mohamed Ebu Adil, também afirmou que Washington e Ancara estão de olho na capital do Curdistão.

"No momento, esses países não chegaram a nenhum acordo. Se assim fosse, os militares dos EUA não aumentariam sua presença na região. No momento, mantemos negociações regulares com os militares dos EUA. Eles afirmam que não pensam em abandonar Manbij. Da nossa parte, nós, como representantes do povo de Manbij, tampouco vamos nos afastar e defenderemos nossa cidade até o último suspiro em caso de um ataque", concluiu.

Turquia vem repetidamente acusando os EUA de violarem sua promessa de retirar os combatentes da YPG de Manbij, depois de as formações curdas terem libertado em junho de 2016 a cidade dos terroristas do Daesh (organização proibida na Rússia e em vários outros países).

Postar um comentário

Postagens mais visitadas