Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

EUA solicitam que Rússia 'retire forças' da Abkházia e Ossétia do Sul

Washington vem condenando os planos do governo sírio de estabelecer relações diplomáticas com as duas regiões que decidiram se separar da Geórgia - Abkházia e Ossétia do Sul, solicitando que a Rússia retire suas forças destes territórios, afirmou o Departamento do Estado dos EUA.


Sputnik

"Estas regiões fazem parte da Geórgia. A posição dos EUA em relação à Abkházia e à Ossétia do Sul é inabalável", afirmou durante briefing a porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Heather Nauert. 

Tanque russo na Ossétia do Sul (foto de arquivo)
Tanque russo na Ossétia do Sul © Sputnik / Said Gutsiev

Além disso, Washington condenou a iniciativa do governo sírio de reconhecer a independência da Abkházia e da Ossétia do Sul e de estabelecer relações diplomáticas com estas regiões, frisando que os EUA apoiam a integridade da Geórgia.

Reagindo à decisão do governo de Bashar Assad, a Geórgia rompeu relações diplomáticas com a Síria.

A Abkházia e Ossétia do Sul declararam independência na década de 90. Em 2008, a Rússia reconheceu o novo estatuto das regiões. Agora, no território das duas regiões se encontram instalações militares russas.

Além da Rússia, a independência dos territórios foi reconhecida pelo Nicarágua, Venezuela, Nauru, Vanuatu e Tuvalu (que posteriormente retirou seu reconhecimento).

Por sua vez, Tbilisi considera que as regiões estão temporariamente ocupadas.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas