Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Exército brasileiro pode ter participado de chacina que matou 8, diz Human Rights Watch

Após ouvir testemunhas e examinar depoimentos de policiais presentes na cena do crime, a ONG Human Rights Watch afirmou nesta sexta-feira (11) que há indícios de que membros do Exército participaram da Chacina do Salgueiro, em São Gonçalo, Rio de Janeiro, que deixou oito mortos em 11 de novembro de 2017.


Sputnik

Seis meses após o incidente, ninguém foi punido. 


Exército faz operação na favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro.
Operação do Exército no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro © Foto : Tomaz Silva/Agência Brasil

A ONG afirma que as testemunhas e os depoimentos apontam que as roupas e os equipamentos dos assassinos correspondem aos dos homens do Exército que chegaram ao local minutos depois.

Um dos sobreviventes contou que homens atiraram de uma mata da região em direção a uma via pública do Complexo do Salgueiro. Os assassinos vestiam preto, tinham o rosto coberto, usavam luvas, lanternas em seus capacetes, e carregavam rifles equipados com lanternas e visão a laser, contou o sobrevivente.

O Comando Militar do Leste reconheceu ao jornal Extra que usou helicópteros em 7 de novembro de 2017 para transportar militares para zonas de mata no Complexo do Salgueiro.

As testemunhas também afirmam que integrantes da Polícia Civil e do Exército que foram ao local não prestaram socorro aos feridos e dificultaram as atividades quem tentou resgatá-los. A legislação brasileira prevê prisão para quem deixar de socorrer uma pessoa ferida caso esta vítima venha a falecer.

O laudo de um perito criminal obtido pela Human Rights Watch afirmou que os corpos haviam sido removidos e que a cena do crime não havia sido preservada.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas