Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Exército da Síria prepara ofensiva e 'ameaças dos EUA não a impedirão', diz general

O especialista militar sírio e general de brigada aposentado, Ali Maqsud, afirmou que o exército do país levou a cabo as preparações necessárias para realizar uma operação de libertação no sul da Síria.


Sputnik

"Agora, os terroristas ainda têm uma última chance de largar as armas e se renderem", afirmou o general à Sputnik Árabe, acrescentando que as ameaças norte-americanas visam impedir o avanço do exército nacional.

Soldados do Exército sírio com bandeira da Síria se alegram com a libertação de Palmira
Militares sírios em Palmira © Sputnik / Mikhail Voskresenskiy

"As declarações dos EUA são mais uma tentativa de traçar mais uma 'linha vermelha' para o exército sírio. É que Israel está preocupado com a aproximação do exército sírio dos territórios ocupados por ele, existe o perigo de envolvimento de Israel no confronto. Contudo, o nosso exército não recuará nos seus planos. Já temos experiência de apagar esse tipo de 'linhas vermelhas’ em Palmira e na parte desértica da Síria", assinalou o general aposentado.

"Após a libertação de Ghouta Oriental, o exército obteve capacidades e forças para realizar outras operações. Naturalmente que foi tomada a decisão de continuar libertando aquelas áreas que até agora ainda permanecem sob controle dos terroristas."

Ali Maqsud frisou que a operação militar foi temporariamente adiada a pedido do governo na província de Daraa, para que os terroristas que se encontram na área terem oportunidade de se renderem sem combater.

Anteriormente, Heather Nauert, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, expressou preocupações com as informações sobre a preparação de uma ofensiva na zona de desescalada no sudoeste da Síria pelas tropas governamentais, e advertiram Damasco para não violar o regime de cessar-fogo.

Vale destacar que uma fonte familiarizada com a situação comunicou à Sputnik que combatentes do grupo radical Frente al-Nusra e do Exército Livre da Síria estão expandindo seu controle sobre os territórios no sul da Síria a fim de criar uma área autônoma patrocinada pelos EUA. Os combatentes planejam realizar um ataque coordenado contra as forças governamentais sírias nas três províncias do sul.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas