Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Brasil comemora 20 anos do fim do conflito entre Peru e Equador

O Brasil irá comemorar nesta terça-feira os 20 anos do fim dos conflitos na fronteira entre Peru e Equador, que se prolongaram por quase 170 anos e que causaram várias guerras, tensões e enfrentamentos entre ambos os países.
EFE

Brasília - O Acordo Global e Definitivo de Paz entre Equador e Peru foi assinado em 26 de outubro de 1998 em Brasília, que voltará a ser palco de um encontro entre representantes dessas duas nações, mas agora para reafirmar "o valor e a eficácia da diplomacia e da solução pacífica de controvérsias", diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A cerimônia contará com a participação do equatoriano José Ayala Lasso e do peruano Fernando de Trazegnies Granda, que eram os chanceleres de seus países na ocasião da assinatura e tiveram participação ativa nas negociações, e será presidido pelo ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes.

Segundo a nota oficial, a comemoração "também evidencia, uma vez mais, a capacidade regional de responder e…

Fonte: OTAN está preocupada com potencial da frota russa

Na OTAN, em primeiro lugar, nos EUA estão preocupados com potencial em crescimento das frotas russas do Norte e do Mar Negro, informou à Sputnik uma fonte político-militar em Bruxelas.


Sputnik

"A primeira [Frota do Norte] dá à Rússia acesso à parte norte da região do Atlântico, e a segunda [Frota do Mar Negro] ao Mediterrâneo", explicou o interlocutor da Sputnik.


Submarino nuclear Karelia no cais da base da Frota do Norte da Marinha da Rússia, na cidade de Gadzhievo.
Submarino nuclear russo Karelia © Sputnik / Mikhail Fomichev

Como informado anteriormente, os submarinistas russos passaram a sair a mares e oceanos mais frequentemente em 2017 em comparação ao período entre 2015 e 2016. Espera-se que em 2018 a frota submarina russa participe de cerca de 500 manobras.

O complexo industrial-militar russo cria sistema oceânico multifuncional, que inclui submarinos nucleares com aparelhos autopropulsados que podem se mover nas profundezas a altas velocidades para atingir alvos inimigos.

As principais direções do desenvolvimento da Marinha russa correspondem à construção de submarinos de 4ª geração e a projetos de submarinos de 5ª geração.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas