Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Fragata russa joga de gato e rato com porta-aviões norte-americano (VÍDEO)

O porta-aviões USS Harry S. Truman, que lidera um grupo de ataque naval dos EUA no Mediterrâneo, está sendo escoltado pelo navio-patrulha russo Yaroslav Mudry.


Sputnik

Segundo as imagens publicadas pelo canal de televisão britânico ITV, a fragata russa é totalmente visível a partir do porta-aviões. Os jornalistas também ouviram as conversas de rádio entre os tripulantes dos dois navios que, de acordo com os norte-americanos, sucedem regularmente.


O navio de patrulha russo Yaroslav Mudry
Navio-patrulha russo Yaroslav Mudry © Sputnik / Igor Zarembo

O ITV lembrou que, em 2016, quando o USS Harry Truman também estava na parte oriental do Mediterrâneo, o destróier USS Gravely (DDG-107), que integrava seu grupo de ataque, se aproximou perigosamente do Yaroslav Mudry, cruzando sua rota a uma distância perigosa. O Ministério da Defesa da Rússia declarou que o destróier USS Gravely violou as regras internacionais de prevenção de colisões de navios. Desta vez, tudo aconteceu educadamente e sem problemas.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas