Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Há uma razão para não abdicar completamente das armas nucleares, segundo jornalista

Mesmo que as armas nucleares causem enormes prejuízos materiais e sofrimentos, elas permitem limitar os conflitos entre países, o que mostra determinada "utilidade" das bombas nucleares.


Sputnik

Foi essa a conclusão a que chegou o jornalista austríaco da edição Contra Magazin, Marco Maier.

Uma explosão nuclear (imagem artística)
© Fotolia / Kremldepall

"Se a Rússia e a China não possuíssem bombas nucleares, então os norte-americanos junto com seus aliados as teriam atacado há muito", explicou o ator.

Além disso, ele concluiu que sem "ajuda" das bombas nucleares, a Índia e o Paquistão já teriam acabado um com outro. Israel como Estado também não existiria sem elas.

Neste sentido, o autor apontou que o lema "armas nucleares para todo o mundo” deveria soar por toda a Terra, frisando que as guerras entre países seriam nesse caso pouco prováveis.

Anteriormente, a alta representante da ONU para Desarmamento, Izumi Nakamitsu, afirmou que a ameaça de uso de armas nucleares está crescendo no mundo, enquanto os tratados internacionais na área da segurança coletiva estão sendo destruídos.

"Esta ameaça, que afeta toda a humanidade, existirá enquanto os arsenais nacionais tiverem armas nucleares", assinalou.

Segundo Nakamitsu, caso as conversações sobre desarmamento e controle de armas não sejam prosseguidas, o mundo ficará sem limitações à criação e utilização de arsenais nucleares.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas