Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Hezbollah: Ataque de míssil da semana passada foi resposta à agressão de Israel na Síria

Hezbollah informou nesta segunda-feira que o ataque da semana passada foi resposta às ações de Israel da Síria.


Sputnik

Na semana passada, aviões de guerra israelenses atacaram supostas posições iranianas na Síria, disparando dezenas de foguetes contra o território sírio. Jerusalém alegou resposta aos supostos disparos realizados por iranianos a partir do território sírio.


Líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah
Líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah © AFP 2018 / Anwar Amro

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, 28 caças israelenses F-15 e F-16 realizaram os ataques, disparando mais de 60 mísseis ar-terra. Metade dos mísseis foi derrubada. Israel também disparou mais de 10 mísseis táticos terra-terra.

O líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, afirmou que o ataque da semana passada ao território de Israel, nas Colinas de Golã, marcou o início de um "estágio completamente novo", informou a Reuters.

O Hezbollah é um movimento xiita baseado no Líbano, fundado na década de 1980 e que tem se envolvido repetidamente em conflitos militares com Israel. O grupo apoia o atual presidente sírio, Bashar Assad, que é um representante dos alauitas, uma minoria xiita síria.

O partido xiita Hezbollah é considerado pelos Estados Unidos, Israel e vários países árabes como uma organização terrorista. A União Européia também considera a ala militar do Hezbollah como uma entidade terrorista.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas