Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

'Irã está tentando transformar Síria em ponto de apoio para ataques a Israel'

Israel está pronto para adotar medidas preventivas para se proteger de ataques do Irã, que está tentando ganhar apoio no país vizinho – Síria, afirmou à Sputnik o ministro para Jerusalém e Assuntos da Diáspora de Israel, Zeev Elkin.


Sputnik

"Nós vamos introduzir medidas preventivas nunca antes introduzidas, a fim de impedir o fortalecimento militar do Irã na Síria", declarou Elkin, momentos antes do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF, na sigla em inglês).

Soldado israelense caminha em antigo posto militar, usado para visitantes para ver as Colinas de Golã, perto da fronteira com a Síria, em 10 de maio de 2018
Militar israelense nas Colinas de Golã © AP Photo / Ariel Schalit

Os recentes ataques a Israel do território sírio foram citados pelo ministro como fonte de preocupação.

"O Irã está tentando transformar Síria em ponto de apoio para ataques a Israel. Recentemente, Israel foi atacado por 30 mísseis lançados do território sírio. É claro que Israel não podia fechar os olhos para tal situação", acrescentou Elkin.

A presença militar iraniana na Síria é também uma preocupação para o governo de Damasco, destacou a autoridade.

"Ao invés de se beneficiar da estabilidade, o país [Síria] praticamente paga o preço pela agressão iraniana. Não tenho dúvidas de que os interesses israelenses, russos e sírios correspondem à suspensão da presença militar iraniana no território da Síria", disse Elkin.

Israel declarou inúmeras vezes que não permitirá que o Irã transforme a Síria em uma base militar, e já lançou vários ataques a posições iranianas na Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas