Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Irã planeja implantar 'armas muito perigosas na Síria', declara Netanyahu

Na terça-feira (8), o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, acusou o Irã de posicionar "armas muito perigosas" na Síria como parte da campanha para ameaçar Israel.


Sputnik

Netanyahu disse aos jornalistas que o Irã "apela abertamente e diariamente à destruição, eliminação de Israel da superfície da terra e pratica uma agressão aberta" contra Tel Aviv.


Premiê israelense, Benjamin Netanyahu, apresentando materiais sobre o suposto programa nuclear iraniano em Tel Aviv
Benjamin Netanyahu © AP Photo/ Sebastian Scheiner

No decorrer da sua visita ao Chipre, Netanyahu afirmou que agora Teerã "está buscando implantar armas muito perigosas na Síria com o fim específico de destruir" Israel.

Entretanto, o Irã respondeu às acusações israelenses com palavras duras, sublinhando que os militares do país são capazes de eliminar qualquer ameaça potencial contra a República Islâmica.

"As Forças Armadas estão prestando o melhor serviço e nenhuma ameaça assusta o Irã", declarou o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas do Irã, general-major Mohammad Bagheri citado pela agência de notícias IRNA.

A guerra de palavras entre o Irã e Israel intensificou-se depois de, em 3 de maio, Netanyahu ter dito que Israel tinha obtido 100.000 documentos impressos e digitais que, de acordo com ele, provam irrefutavelmente que o programa nuclear iraniano tem um componente militar secreto, batizado de Projeto Amad. Esta declaração foi feita pouco antes da data limite (12 de maio) para o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciar se Washington irá ou não continuar a fazer parte do acordo nuclear.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas