Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Irã planeja implantar 'armas muito perigosas na Síria', declara Netanyahu

Na terça-feira (8), o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, acusou o Irã de posicionar "armas muito perigosas" na Síria como parte da campanha para ameaçar Israel.


Sputnik

Netanyahu disse aos jornalistas que o Irã "apela abertamente e diariamente à destruição, eliminação de Israel da superfície da terra e pratica uma agressão aberta" contra Tel Aviv.


Premiê israelense, Benjamin Netanyahu, apresentando materiais sobre o suposto programa nuclear iraniano em Tel Aviv
Benjamin Netanyahu © AP Photo/ Sebastian Scheiner

No decorrer da sua visita ao Chipre, Netanyahu afirmou que agora Teerã "está buscando implantar armas muito perigosas na Síria com o fim específico de destruir" Israel.

Entretanto, o Irã respondeu às acusações israelenses com palavras duras, sublinhando que os militares do país são capazes de eliminar qualquer ameaça potencial contra a República Islâmica.

"As Forças Armadas estão prestando o melhor serviço e nenhuma ameaça assusta o Irã", declarou o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas do Irã, general-major Mohammad Bagheri citado pela agência de notícias IRNA.

A guerra de palavras entre o Irã e Israel intensificou-se depois de, em 3 de maio, Netanyahu ter dito que Israel tinha obtido 100.000 documentos impressos e digitais que, de acordo com ele, provam irrefutavelmente que o programa nuclear iraniano tem um componente militar secreto, batizado de Projeto Amad. Esta declaração foi feita pouco antes da data limite (12 de maio) para o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciar se Washington irá ou não continuar a fazer parte do acordo nuclear.

Postar um comentário