Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Israel concorda com presença das tropas sírias perto de suas fronteiras com uma condição

Israel permitiu a presença de tropas do governo da Síria junto das suas fronteiras do norte. O acordo foi firmado com a mediação da Rússia, segundo informou a mídia local.


Sputnik

"Ele [o acordo] estipula que o exército de Assad ocupará as posições na fronteira com Israel e, em contrapartida, os russos asseguram que não haverá a presença do Irã e do Hezbollah", diz a mensagem.

Um soldado israelense vigiando a linha de demarcação que separa o território sírio e israelense
Militar israelense na fronteira com a Síria © AFP 2018 / AHMAD GHARABLI

A região próxima da linha de demarcação que separa o território sírio do israelense faz parte da zona de desescalação formada em 2017 pelo acordo entre a Rússia, os EUA e a Cisjordânia.

No dia anterior, o ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, declarou que apenas as forças governamentais do país devem permanecer na fronteira sul da Síria.

Israel demonstra preocupação com a existência de bases militares iranianas perto de sua fronteira com a Síria e realiza frequentes ações para aniquilar as instalações relevantes.

Um dos episódios ocorreu em 8 de maio. Na noite desse dia os militares israelenses detectaram "atividade incomum" das forças iranianas na Síria. As Forças de Defesa de Israel (IDF, sigla em inglês) consideraram que havia preparativos para um possível ataque.

Os militares afirmaram que estavam prontos para "vários cenários" e determinados a dar "uma resposta decisiva a qualquer agressão". Além disso, iniciou-se uma mobilização limitada de reservistas.

Algum tempo depois, Israel bombardeou os territórios ao sul de Damasco.

Na noite de 10 de maio, Israel comunicou que as forças iranianas na Síria haviam alegadamente disparado em direção às Colinas de Golã, o que levou à retaliação.

Alguns especialistas militares admitem que o apoio de Israel por parte dos Estados Unidos pode levar a um verdadeiro conflito militar.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas