Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Israel é 'incapaz' de eliminar Assad, afirma político iraniano

Um importante político iraniano respondeu ao aviso de um ministro israelense que fez ameaças de que Tel Aviv pode assassinar o presidente da Síria se ele continuar "permitindo que o Irã opere" do seu país.


Sputnik

Falando à Sputnik sobre os comentários do ministro da Energia israelense Yuval Steinitz, o parlamentar iraniano Adolfazl Hassanbeigi disse que os israelenses são incapazes de prosseguir com as ameaças.


Presidente sírio Bashar Assad
Presidente sírio Bashar Assad © AP Photo / Vahid Salem

"Israel não pode fazer nada; eles são incapazes de realizar isso", enfatizou o membro da Comissão de Segurança Nacional e Política Externa.

Hassanbeigi acrescentou que a "presença do Irã na Síria em caráter consultivo é legal e ocorre a pedido do governo sírio".

No início da segunda-feira (7), Yuval Steinitz advertiu que Tel Aviv eliminaria o presidente Bashar Assad se a suposta presença iraniana em seu país continuasse.

"Se Assad deixar o Irã transformar a Síria em uma base militar contra nós, para nos atacar a partir do território sírio, ele deve saber que este será seu fim", afirmou.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, acusou o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã de enviar armas avançadas para a Síria, incluindo drones, defesas aéreas e mísseis terra-terra. Israel intensificou seus ataques aéreos contra o que alega serem alvos integrados ao Irã na Síria no mês passado, e acusou Teerã de tentar transformar a Síria em uma cabeceira de ponte hostil contra Tel Aviv. No domingo (6), Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, destacou o importante papel do Irã na luta contra o terrorismo.

Netanyahu disse que discutirá a presença do Irã na Síria durante sua visita programada à Rússia na quarta-feira (9).

Damasco acolheu o apoio iraniano e russo em sua longa guerra contra uma miscelânea desorganizada de milícias armadas e grupos terroristas. Ao mesmo tempo, o governo sírio acusou Israel, Turquia, EUA e França de violar reiteradamente sua soberania e integridade territorial.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas