Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Israel: Irã precisará de muitos meses para se recuperar após ataques na Síria

O Irã precisará de "muitos meses" para se recuperar dos danos causados a suas forças na Síria pela Força Aérea de Israel, declarou Jonathan Conricus, porta-voz das Forças de Defesa de Israel (FDI).


Sputnik

Conricus qualificou os ataques aéreos contra posições do Irã na Síria como uma das maiores operações aéreas de Israel nos últimos anos e "sem dúvida a maior [operação] contra alvos iranianos".


Cidade síria de Aleppo após bombardeamentos (arquivo)
Aleppo, Síria © AFP 2018 / Karam Al-Masri

"Supomos que o Irã precisará de muito tempo para se recuperar, são muitos meses de trabalho ou até mais […] Foi uma operação de grande escala contra componentes importantes da presença iraniana [na Síria]: inteligência, logística, bases militares, armazéns, postos de observação e muitos outros", informou o porta-voz.

Conricus relatou que, de acordo com os dados preliminares do exército israelense, todos os alvos atingidos foram eliminados e todos os aviões israelenses que participaram da operação voltaram a suas bases. 

Segundo o porta-voz, Israel não dispõe de informações exatas sobre baixas da parte iraniana.

"Tentamos danificar menos as forças vivas e mais as armas e instalações, não tentamos maximizar as baixas entre os efetivos. A missão visou em primeiro lugar causar um dano a longo prazo ao potencial militar iraniano na Síria", explicou.

Os militares israelenses afirmam que o ataque teve como alvos principais as instalações da força Quds, a unidade de forças especiais do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica que monitora as operações iranianas na Síria.

Anteriormente, os militares de Israel relataram que as forças iranianas tinham lançado cerca de 20 mísseis desde o território sírio contra posições israelenses nas Colinas de Golã. Em resposta, a Força Aérea de Israel atacou instalações iranianas no território sírio.

Postar um comentário