Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Israel promete 'eliminar' Assad se ele continuar permitindo que Irã opere da Síria

Israel promete 'eliminar' Assad se ele continuar permitindo que Irã opere da Síria.


Sputnik

Israel manifestou reiteradamente sua preocupação acerca da suporta presença militar iraniana na Síria e declarou que Teerã está construindo uma base militar nesse país, enquanto o Irã nega veementemente essas acusações.


Resultado de imagem para Yuval Steinitz
Ministro da Energia israelense, Yuval Steinitz | Reprodução

Entretanto, Teerã admitiu ter enviado conselheiros militares à Síria para ajudar Damasco a combater os terroristas.

O ministro da Energia israelense, Yuval Steinitz, alegou que seu país está disposto a "eliminar" o presidente sírio Bashar Assad se ele continuar "permitindo que Irã opere" do seu país.

"É inaceitável que Assad se sente calmamente no palácio e reconstrua seu regime permitindo que a Síria se torne a base para os ataques a Israel", disse Steinitz, citado pela edição Ynet.

"Se Assad permite que o Irã transforme a Síria em uma base militar para nos atacar do território sírio, ele deve saber que isso vai ser o fim dele", disse Steinitz.

Essa declaração teve lugar um dia depois de o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ter afirmado que Israel não suportará a alegada presença militar iraniana nas suas fronteiras do norte mesmo que leve a ações militares.

O político assegura que, ao longo dos últimos meses, o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica tem enviado à Síria modernas armas defensivas e ofensivas, inclusive drones de ataque, sistemas de defesa antiaérea e mísseis da classe ar-ar.

Em 9 de abril, dois caças F-15 da Força Aérea de Israel realizaram ataque à base aérea T-4 na Síria, matando sete iranianos que operavam no país.

As autoridades israelenses prometeram responder ao ataque forçando a mídia israelense especular sobre possível ataque de mísseis do Irã a Israel desde a Síria.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas