Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Jornalista ucraniano explica por que Kiev não pode ter pretensões nenhumas sobre a Crimeia

O editor-chefe da edição on-line ucraniana Taimer, Yuri Tkachev, avaliou as capacidades de Kiev para sustentar a Crimeia, concluindo que seus compatriotas não podem considerar a península como sua.


Sputnik

De acordo com o jornalista, ao longo de cinco anos, entre 2015 e 2020, a Rússia gastou cerca de "25 bilhões de dólares" com o desenvolvimento das infraestruturas da região (vale ressaltar que, conforme a respectiva diretiva do governo, se trata de US$ 825 bilhões).


Comício em Sevastopol em honra da reunificação da Crimeia à Rússia
População de Sevastopol em manifestação pela reunificação da Crimeia com a Rússia © Sputnik / Aleksei Malgavko

Tkachev frisa que a Ucrânia, por sua vez, alocou apenas 9 milhões de dólares para a península em 2013.

"Quando os políticos ucranianos afirmam que a Crimeia é deles, pergunte-lhes: será que eles têm dinheiro para a Crimeia?", escreveu o jornalista no Facebook.

Ele também supôs que a Ucrânia não encontraria dinheiro para "arrumar" sua própria infraestrutura. Para isso, acredita Tkachev, seria necessário investir nela ao menos US$ 10 bilhões anuais durante uma década.

"Nunca ninguém nos vai dar essa soma", resumiu.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas