Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Brasil comemora 20 anos do fim do conflito entre Peru e Equador

O Brasil irá comemorar nesta terça-feira os 20 anos do fim dos conflitos na fronteira entre Peru e Equador, que se prolongaram por quase 170 anos e que causaram várias guerras, tensões e enfrentamentos entre ambos os países.
EFE

Brasília - O Acordo Global e Definitivo de Paz entre Equador e Peru foi assinado em 26 de outubro de 1998 em Brasília, que voltará a ser palco de um encontro entre representantes dessas duas nações, mas agora para reafirmar "o valor e a eficácia da diplomacia e da solução pacífica de controvérsias", diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A cerimônia contará com a participação do equatoriano José Ayala Lasso e do peruano Fernando de Trazegnies Granda, que eram os chanceleres de seus países na ocasião da assinatura e tiveram participação ativa nas negociações, e será presidido pelo ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes.

Segundo a nota oficial, a comemoração "também evidencia, uma vez mais, a capacidade regional de responder e…

Líder iraniano: há mais de 10 mentiras no discurso de Trump sobre saída do acordo nuclear

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, referiu-se ao discurso de Donald Trump, presidente norte-americano, sobre a saída dos EUA do acordo nuclear, como "estúpido e superficial".


Sputnik

"Ele podia ter mais de 10 mentiras em seus comentários. Ele ameaçou o regime e as pessoas, dizendo que 'vou fazer isso e aquilo'. Senhor Trump, digo-lhe em nome do povo iraniano: você cometeu um erro", declarou Khamenei em 9 de maio.


Aiatolá Ali Khamenei fala em Teerã, Irã (arquivo)
Aiatolá Ali Khamenei © AP Photo / Escritório do líder supremo iraniano

Khamenei tem apoiado o acordo nuclear iraniano e criticado Donald Trump por não cumprir as promessas dadas sobre o acordo.

Na terça-feira (8), Donald Trump anunciou decisão de sair do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) e prometeu voltar a introduzir sanções econômicas mais rigorosas contra o Irã em resposta ao desenvolvimento do programa nuclear de Teerã.

Em resposta ao passo dos EUA, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse no mesmo dia que Teerã não pretende sair do JCPOA e que o acordo continua entre o Irã e os restantes cinco participantes.

O JCPOA foi assinado em 14 de julho de 2015 pela União Europeia e o grupo de países P5+1, ou seja, pela China, França, Rússia, Reino Unido e EUA mais a Alemanha. O documento estipula o cancelamento gradual das sanções contra o Irã em troca do encerramento de seu programa nuclear e autorização de inspeções para garantir caráter pacífico do programa.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas