Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Brasil comemora 20 anos do fim do conflito entre Peru e Equador

O Brasil irá comemorar nesta terça-feira os 20 anos do fim dos conflitos na fronteira entre Peru e Equador, que se prolongaram por quase 170 anos e que causaram várias guerras, tensões e enfrentamentos entre ambos os países.
EFE

Brasília - O Acordo Global e Definitivo de Paz entre Equador e Peru foi assinado em 26 de outubro de 1998 em Brasília, que voltará a ser palco de um encontro entre representantes dessas duas nações, mas agora para reafirmar "o valor e a eficácia da diplomacia e da solução pacífica de controvérsias", diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A cerimônia contará com a participação do equatoriano José Ayala Lasso e do peruano Fernando de Trazegnies Granda, que eram os chanceleres de seus países na ocasião da assinatura e tiveram participação ativa nas negociações, e será presidido pelo ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes.

Segundo a nota oficial, a comemoração "também evidencia, uma vez mais, a capacidade regional de responder e…

Liga Árabe desenvolve plano para conter reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel

A Liga dos Estados Árabes pretende desenvolver um plano para combater o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel pelos Estados Unidos e por qualquer outro Estado, afirmou por meio de um documento divulgado após uma reunião ministerial extraordinária da organização no Cairo.


Sputnik

"O secretariado da organização recebeu a tarefa de desenvolver um plano abrangente que inclua medidas que possam ser usadas para contrariar a decisão dos Estados Unidos ou de qualquer outro Estado de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel ou transferir a embaixada para esta cidade", disse.

Bandeira israelense em Jerusalém
Jerusalém © AFP 2018 / THOMAS COEX

O plano, que deve ser preparado em duas semanas, incluirá medidas políticas, judiciais e econômicas.

No início desta semana, o ministro egípcio das Relações Exteriores, Sameh Shoukry, disse que a transferência da embaixada dos EUA para Jerusalém e seu reconhecimento como a capital de Israel não muda o status judicial da cidade e não abole os direitos legítimos dos palestinos em suas terras.

A transferência da embaixada dos EUA para Jerusalém na última segunda-feira, reivindicada tanto pelos israelenses quanto pelos palestinos, foi alvo de tumultos na fronteira da Faixa de Gaza, que havia sido suprimida pelas forças de segurança israelenses. Desde o início desta semana, mais de 60 palestinos morreram e mais de 2.700 ficaram feridos na violência em Gaza.

Na quarta-feira, a embaixada da Guatemala em Israel abriu oficialmente em Jerusalémapós a transferência de suas operações de Tel-Aviv.

O secretário-geral da Liga Árabe, Ahmed Aboul Gheit, disse na quinta-feira que a organização deve rever as relações com os Estados Unidos e a Guatemala e outros países que podem reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e transferir suas embaixadas para esta cidade.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas