Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Mídia: navios da OTAN entram nas águas do mar Negro

Navios do 2º grupo militar-naval da OTAN entraram no mar Negro, comunica edição ucraniana Dumskaya.


Sputnik

Segundo a publicação, o navio-almirante do grupo é o destróier britânico HMS Duncan. Na composição do grupo também entraram fragata espanhola SPS Victoria, turca TCG Gemlik, navio alemão FGS Bayern e mais algumas embarcações.


Destróier HMS Duncan, foto de arquivo
CC BY-SA 2.0 / Defence Images / New Type 45 Destroyer HMS Duncan

Mais cedo, surgiram notícias que a OTAN está reforçando seu grupo na região do mar Negro. A Aliança enviou para patrulhamento da área vários caças de 4ª geração, Eurofighter Typhoon.

Segundo representantes da Força Aérea Real do Reino Unido, os pilotos treinarão combate contra "potencial agressão" que, segundo OTAN, vem da Rússia.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas