Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Donetsk declara estar em prontidão de combate para se defender de suposta ofensiva de Kiev

Os destacamentos da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) estão em prontidão de combate total e completamente equipados com todo o necessário para o caso de haver uma possível ofensiva das Forças Armadas da Ucrânia em Donbass, declarou aos jornalistas o vice-comandante da Milícia Popular da RPD, Eduard Basurin.
Sputnik

Anteriormente, Donetsk denunciou a preparação de um grande ataque por parte de Kiev no sul da região de Donetsk com uso de veículos blindados pesados, artilharia e lançadores múltiplos de foguetes.


Segundo dados da inteligência, a ofensiva foi programada para 14 de dezembro com o objetivo final de tomar sob controle a fronteira com a Rússia. O líder da RPD, Denis Pushilin, declarou por sua vez que as forças de Donetsk estavam prontas para repelir o ataque.

"Todas as unidades militares foram colocadas em prontidão de combate total. Desde o momento em que recebemos informação sobre a preparação de uma ofensiva em grande escala do lado ucraniano, os nossos des…

Militares brasileiros são alvo de ataque com pedras na República Centro-Africana

Tenente-coronel do Exército e capitã de corveta da Marinha atuam como observadores em missão de paz da ONU. Eles integravam comboio atacado na capital Bangui.


Por Gustavo Garcia | G1, Brasília

Um comboio integrado por dois militares brasileiros foi alvo de um ataque com pedras nesta terça-feira (1º) durante patrulhamento em Bangui, capital da República Centro-Africana.

Comboio com militares brasileiros é atacado na República Centro-Africana (Foto: Editoria de Arte / G1)
Comboio com militares brasileiros é atacado na República Centro-Africana (Foto: Editoria de Arte / G1)

Os dois atuam como observadores em uma missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no país africano.

Em novembro do ano passado, a ONU pediu ao Brasil o envio de tropas para a República Centro-Africana, mas o pedido ainda não foi atendido. Segundo a Cruz Vermelha, o país vive uma tragédia humanitária.

Segundo o Centro de Comunicação Social do Exército, no ataque, o tenente-coronel do Exército Carlos Rocha ficou ferido e a capitã de corveta da Marinha Márcia Braga sofreu escoriações leves.

De acordo com o almirante Rogério Lage, da Subchefia de Operações de Paz do Ministério da Defesa, o apedrejamento aconteceu durante confronto entre muçulmanos e cristãos no local.

Em razão do ataque com pedras, o motorista do veículo em que os brasileiros estavam perdeu o controle e colidiu com uma árvore, o que, segundo o Centro de Comunicação Social do Exército, causou uma fratura no nariz do tenente-coronel.

Rogério Lage disse que, além da lesão na face, o militar tem suspeita de traumatismo craniano.

Um policial local, que estava armado, ajudou os militares brasileiros a deixar o veículo. Depois que eles foram retirados, informou o centro do Exército, o veículo foi incendiado pelos autores do ataque.

Segundo o Centro de Comunicação do Exército, o tenente-coronel foi encaminhado para um hospital da ONU em Uganda. Ele estava consciente depois do ataque. A capitã de corveta permaneceu na República Centro-Africana.

Os familiares dos militares brasileiros foram avisados. Um adido militar brasileiro estava em deslocamento para o local a fim de obter mais informações sobre o caso e sobre o estado de saúde dos militares.

Segundo o Centro de Comunicação Social do Exército, os observadores são divididos em áreas e, rotineiramente, fazem patrulhamentos a fim de identificar eventuais conflitos nesses locais.

Nota do Ministério da Defesa

O Ministério da Defesa divulgou nota à imprensa sobre o ataque na República Centro-Africana:

O Ministério da Defesa, por intermédio da Subchefia de Operações de Paz, informa que, nesta terça-feira, em Bangui, capital da cidade da República Centro-Africana, houve um confronto local no bairro mulçumano PK5. Durante o ataque, uma viatura da Organização das Nações Unidas (ONU), com 2 militares brasileiros, do Estado Maior da Força de Paz da ONU na República Centro Africana (MINUSCA), foi apedrejada, sendo danificada.

Na continuidade da ação, a capitão-de-corveta Márcia Andrade Braga, da Marinha do Brasil, e o tenente-coronel Carlos Henrique Martins Rocha, do Exército Brasileiro, foram feridos. Em seguida, a polícia local agiu e os militares foram deslocados para uma Unidade Médica Nível 2 (atendimento hospitalar de baixa complexidade). A militar da Marinha teve escoriações e ferimentos leves e já recebeu alta. O coronel Rocha teve uma lesão na face e suspeita de traumatismo cranioencefálico, e foi deslocado para uma Unidade Médica Nível 3 (hospital) em Entebbe, Uganda.

O estado de saúde do militar do Exército é estável, e está sendo prestada a assistência necessária a seus familiares. Uma equipe da ONU acompanha o atendimento ao coronel e o adido do Exército Brasileiro está a caminho do local. O Ministério da Defesa coordena as ações referente à situação.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas