Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Mísseis balísticos iemenitas atacam base militar saudita em Najran

Forças do Exército iemenita, apoiadas por combatentes aliados dos Comitês Populares, dispararam um míssil balístico de fabricação nacional em uma base militar na região de Najran, na fronteira com a Arábia Saudita, em retaliação aos ataques militares liderados pela Arábia Saudita.


Pars Today

A rede de televisão al-Masirah em língua árabe do Iêmen informou, citando uma fonte militar, que a base militar al-Darb dos sauditas havia sido alvo de um míssil de curto alcance do tipo Badr 1 na sexta-feira.


Mísseis balísticos iemenitas atacam base militar saudita em Najran

Não houve uma palavra imediata sobre o número exato de vítimas.

Fontes sauditas afirmaram interceptar o míssil iemenita que está chegando.

Na quinta-feira, as forças iemenitas dispararam pelo menos dois mísseis al Badr-1 em bases sauditas e um centro de guerra eletrônica na mesma região problemática.

O relatório dizia que o projétil tinha como alvo um grupo de soldados e mercenários sauditas na base.

As forças iemenitas disparam regularmente mísseis balísticos em posições dentro da Arábia Saudita em retaliação à campanha militar liderada por Riyadh no Iêmen.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas