Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Netanyahu ganha direito de declarar guerra sem consentimento do governo

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, terão direito de declarar conjuntamente o país em estado de guerra, informou a assessoria de imprensa do Knesset (Parlamento de Israel).


Sputnik

Os deputados aprovaram a emenda de lei que permite declarar guerra sem o consentimento de todo o governo.


Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu
Primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu © REUTERS / Jonathan Ernst

"Em casos extremos, quando não existe a possibilidade de esperar que se reúna o número necessário de membros do gabinete, o primeiro-ministro e o ministro da Defesa poderão conjuntamente tomar a decisão sobre a declaração de guerra", assinala o comunicado.

Especifica-se que para as situações de menor gravidade será suficiente a presença de metade dos membros do gabinete para aprovar o ato.

"A respectiva emenda concede diretamente ao gabinete político-militar o direito de declarar estado de guerra e de dar início a uma operação militar de grande envergadura", indica o documento.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas