Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Netanyahu ganha direito de declarar guerra sem consentimento do governo

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, terão direito de declarar conjuntamente o país em estado de guerra, informou a assessoria de imprensa do Knesset (Parlamento de Israel).


Sputnik

Os deputados aprovaram a emenda de lei que permite declarar guerra sem o consentimento de todo o governo.


Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu
Primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu © REUTERS / Jonathan Ernst

"Em casos extremos, quando não existe a possibilidade de esperar que se reúna o número necessário de membros do gabinete, o primeiro-ministro e o ministro da Defesa poderão conjuntamente tomar a decisão sobre a declaração de guerra", assinala o comunicado.

Especifica-se que para as situações de menor gravidade será suficiente a presença de metade dos membros do gabinete para aprovar o ato.

"A respectiva emenda concede diretamente ao gabinete político-militar o direito de declarar estado de guerra e de dar início a uma operação militar de grande envergadura", indica o documento.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas