Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

OPAQ quer exumar corpos em Douma para analisar suposto uso de armas químicas

Especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) planejam exumar para testes os corpos das vítimas de um suposto ataque com armas químicas em Douma, na Síria, disse nesta quinta-feira Ahmet Uzumcu, chefe da OPAQ.


Sputnik

"Dos corpos já enterrados, procuramos maneiras de exumar, se possível, e de algumas amostras biomédicas", contou Uzumcu em entrevista ao jornal Financial Times.


Etiquetas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) vistas em uma casa destruída em Douma, 23 de abril de 2018
Etiquetas da OPAQ encontradas em Douma © REUTERS / Ali Hashisho

Segundo Uzumcu, a Missão de Descoberta da OPAQ já coletou mais de 100 "amostras ambientais", mas elas se deterioram rapidamente, enquanto amostras biomédicas poderiam mostrar se cloro ou um agente nervoso foram usados durante o suposto ataque.

O chefe da OPAQ acrescentou que pode levar um mês para que a missão, que foi implantada no país árabe desde 14 de abril, publique seu relatório sobre o suposto incidente em Douma.

A tensão em torno da Síria aumentou após um suposto ataque com armas químicas em Douma em 7 de abril.

O especulado ataque levou os Estados Unidos, França e Reino Unido a disparar mais de 100 mísseis contra o que eles chamavam de locais de armas químicas do governo sírio. Já o governo de Bashar Assad negou usar substâncias perigosas contra civis.

Moscou e Damasco refutaram as acusações, dizendo que o ataque químico foi encenado e condenaram os ataques ocidentais.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas