Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Presidente Rouhani: 'Europa tem tempo limitado para preservar o JCPOA'

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse à sua contraparte francesa que os benefícios do Irã no JCPOA devem ser garantidos, acrescentando que a Europa tem pouco tempo para preservar o acordo.


Pars Today

Segundo o site oficial da presidência do Irã, durante a conversa telefônica que ocorreu na noite de quarta-feira, o presidente do Irã descreveu as repetidas violações dos Estados Unidos das cláusulas do JCPOA como uma humilhação histórica para a administração dos EUA e disse: “na situação atual, a Europa tem um tempo muito limitado para salvar o JCPOA e deve determinar e anunciar suas posições claras e firmes sobre suas obrigações no negócio.”


Presidente Rouhani:
Emmanuel Macron e Hassan Rouhani | Reprodução

Rouhani também disse ao Emmanuel Macron, da França: “O JCPOA foi alcançado depois de longas e contínuas tentativas de 2003 a 2015, e por causa do endosso do Conselho de Segurança, é um acordo internacional”.

Rouhani continuou "a consulta e a cooperação entre o Irã e a França continuarão a garantir interesses comuns e segurança e estabilidade na região".

"Hoje, temos a responsabilidade histórica de manter o JCPOA e o futuro vai provar que Trump cometeu um grave erro", disse ele, acrescentando que "infelizmente, a Europa perdeu a oportunidade de 4 meses para salvar o negócio e gastou-o para persuadir a nova administração dos EUA a permanecer no JCPOA ”.

No telefonema, o presidente da França, Emmanuel Macron, lamentou a decisão de Trump de desistir do acordo e disse que "os países europeus anunciaram sua objeção a essa decisão coletivamente".

Ele também enfatizou que a estrutura do JCPOA deve ser mantida e que todas as partes devem cumprir seus compromissos, dizendo que "a Europa tentará manter o JCPOA de forma coesa".

"A ampla cooperação entre o Irã e a Europa é muito importante para promover a paz e a segurança na região".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas