Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Putin buscará com Netanyahu saídas para situação "tensa" no Oriente Médio

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira que dedicará sua reunião com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em busca de soluções para a "tensa" situação que se criou no Oriente Médio.


EFE

Moscou - "Aproveitaremos sua visita para falar das relações bilaterais e dos problemas na região, porque a situação, infelizmente, é tensa", disse Putin ao início de seu encontro com Netanyahu no Kremlin.


EFE/ Sergei Ilnitsky
Benjamin Netanyahu e Vladimir Putin | EFE/ Sergei Ilnitsky

O líder russo expressou confiança de que as partes discutam soluções que possam levar a uma distensão na região e permitam "encontrar os caminhos para a resolução dos conflitos agudos".

O líder israelense, por sua vez, afirmou que avalia a possibilidade de abordar a situação na região com Putin a fim de que ambos possam "pensar juntos" como é possível "eliminar as ameaças existentes de maneira responsável e sensata".

Antes de viajar para a Rússia, Netanyahu disse que conversará com Putin sobre a necessidade de garantir uma coordenação contínua entre as forças armadas russas e israelenses para evitar incidentes na Síria.

As posições de Moscou e Tel Aviv são diametralmente opostas no conflito sírio, onde a Rússia é aliada do Irã, o principal inimigo de Israel.

A reunião acontece horas depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a saída do seu país do acordo nuclear iraniano.

Na manhã de hoje, os dois governantes renderam homenagem à memória dos caídos na Segunda Guerra Mundial ao depositarem uma coroa de flores no Túmulo do Soldado Desconhecido em Moscou.

Comentários

Postagens mais visitadas