Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Pyongyang: EUA podem 'arruinar o clima de diálogo'

O Ministério das Relações Exteriores norte-coreano indicou que Washington difunde uma interpretação incorreta das intenções de Pyongyang em relação à desnuclearização, informou neste domingo (6) a agência de notícias norte-coreana, KCNA.


Sputnik

A chancelaria da Coreia do Norte considera que os EUA interpretam erroneamente o objetivo do país de buscar a desnuclearização completa da península como uma consequência da "pressão e das sanções". Além disso, lembra que Washington continua dizendo que "não vai aliviar as sanções até que a Coreia do Norte abandone as armas nucleares", enquanto aumenta as tensões na região com o posicionamento de armas estratégicas na península da Coreia.


Lançamento de míssil de longo alcance no polígono de Sohae (Coreia do Norte)
Lançamento de míssil de longo alcance da Coreia do Norte © REUTERS / Kyodo

Neste sentido, Pyongyang adverte que o comportamento provocador dos EUA é "uma tentativa perigosa de arruinar o clima de diálogo alcançada e fazer voltar a situação ao ponto de partida".

Entretanto, nota que "se os EUA prosseguirem com a pressão e ameaça militar contra Pyongyang, chamando de 'fraqueza' a intenção da Coreia do Norte de ir na direção da paz, isso não contribuirá para a solução do problema".

Atualmente, efetuam-se os preparativos para a próxima reunião entre o presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

Em 4 de maio, Trump disse que foram estabelecidos a data e lugar da cúpula com Kim Jong-un, precisando que os detalhes serão divulgados mais tarde.

Postar um comentário