Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Rússia pode ter 'más notícias' para caças norte-americanos

A Rússia e China estão a ponto de criarem tecnologia que permitirá derrubar os caças furtivos norte-americanos F-35 e F-22, escreve a revista The National Interest.


Sputnik

Moscou e Pequim já têm experiência em elaboração de sistemas de vigilância de infravermelhos, aponta o autor do artigo. Além disso, a indústria de defesa dos dois países possui redes de transmissão de dados no ar.

Caça norte-americano F-22
F-22 Raptor da USAF © AP Photo/ Lee Jin-man

Agora a Rússia e a China já têm todos os recursos para criar canais de comunicação de alta velocidade e de alta frequência, estipula a revista.

"Logo que os russos e os chineses possam ligar, com ajuda de um canal de transmissão de dados de alta velocidade, dois ou mais caças equipados com sistemas de busca e monitoramento de infravermelhos na faixa de ondas longas, eles terão a base dos componentes para criação de sistemas capazes de contrariar as tecnologias furtivas", ressalta o artigo.

Desenvolvimentos de tal tipo, junto com os algoritmos de fusão de sensores mais modernos "reduzirão significativamente" o potencial funcional dos caças norte-americanos de quinta geração, opina o autor. Ele também nota que a modernização das tecnologias de combate é somente uma questão do tempo. E é pouco provável que se possa proteger os caças norte-americanos do desenvolvimento de novos sistemas.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas