Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: Rússia e Turquia decidirão que grupos deixarão zona de Idlib

Rússia e Turquia irão determinar em conjunto quais grupos radicais deverão deixar o território da zona desmilitarizada de Idlib, na Síria, segundo afirmou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, neste domingo.
Sputnik

"Durante negociações sobre Idlib em Sochi, nós decidimos estabelecer uma zona desmilitarizada entre os territórios controlados pela oposição e pelo regime. A oposição permanecerá nos territórios que ela ocupa. Vamos garantir que os grupos radicais, designados em conjunto com a Rússia, não operem na região", disse Erdogan em artigo publicado pelo jornal russo Kommersant

Ainda de acordo com o líder turco, Washington segue atrapalhando o equilíbrio na região com seu apoio às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) e ao Partido da União Democrática (PYD) na Síria, considerados adversários de Ancara.

"Infelizmente, vemos que o apoio extraordinário que tem sido prestado recentemente, especialmente pelos Estados Unidos, às forças do YPG e do PYD, continua. Tais …

Rússia quer afastar forças iranianas da fronteira sírio-israelense? Israel acha que sim

As autoridades políticas e militares de Israel creem que a Rússia pretende discutir com Israel o afastamento das forças iranianas e das milícias pró-Irã que operam na Síria na fronteira com Israel, assinala o diário Haaretz citando altos funcionários israelenses.


Sputnik

Moscou estaria preocupada com os confrontos diretos entre Israel e o Irã, que poderiam pôr em perigo a continuidade do presidente sírio Assad no poder, segundo as fontes.

Militar russo na Síria
Militar russo na Síria © AP Photo / Sem credenciais

A postura da Rússia, indicam as mesmas fontes, é afastar as forças iranianas da fronteira com Israel, mas não de toda a Síria.

Em novembro passado, Israel tentou que as forças pró-iranianas se afastassem 60 quilômetros da fronteira, quer dizer até à zona de Damasco.

Entretanto, o acordo firmado pela Rússia e os Estados Unidos prevê um afastamento das forças pró-iranianas de cinco a 20 quilômetros, algo que não satisfaz Israel.

Conforme os cálculos de Israel, na Síria há cerca de 2.000 oficiais e assessores iranianos, bem como 9.000 combatentes das milícias pró-iranianas originários do Afeganistão, Paquistão e Iraque.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas