Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Rússia reforça defesa do Ártico com bombardeiros supersônicos estratégicos

A Rússia planeja fortalecer a defesa do Ártico enviando bombardeiros estratégicos supersônicos Tu-160 para esta região, segundo comunicou o comandante da aviação de longo alcance da Força Aeroespacial da Rússia, Sergei Kobylash, em entrevista ao jornal do Ministério da Defesa.


Sputnik

"Atualmente, o Ártico tem importância estratégica para nós e, por isso, estamos incluindo novos aeródromos e aparelhos que possam garantir a segurança do país na fronteira marítima e naquela área", explicou Kobylash entrevistado pelo Krasnaya Zvezda.

Bombardeiro russo Tu-160
Tupolev Tu-160 © AP Photo / Misha Japaridze

"Nunca violamos o direito internacional, muito menos as fronteiras de outros países", acrescentou.

O comandante russo também comentou o recente incidente em que caças F-22 dos EUA escoltaram aeronaves russas no Ártico.

"Perto de suas fronteiras, a aviação desses países tem o mesmo direito de escoltar que nós temos ao realizar patrulhas aéreas", disse Kobylash, observando que este é um caso frequente.

Ao mesmo tempo, o comandante assegurou "com total responsabilidade" que a aviação russa de longo alcance "não violou o direito internacional, muito menos as fronteiras aéreas de Estados estrangeiros". "Todas as tarefas que as equipes realizaram e realizam estão em total conformidade com os padrões internacionais", frisou.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas