Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Sem publicidade desnecessária, melhores mísseis antitanque russos chegam à Síria (VIDEO)

O Exército Árabe Sírio recebeu da Rússia os modernos sistemas antitanque Kornet-D, de alcance aumentado. A informação foi divulgada por diversas fontes terroristas, da oposição e até no exército sírio.


Sputnik

As primeiras notícias sobre os novos Kornet-D surgiram nos portais afiliados à oposição, após uma série de ataques "inexplicáveis" contra os veículos dos radicais.


O blindado russo Tigr com o complexo de mísseis antitanque Kornet-D desfila pela Praça Vermelha de Moscou em 9 de maio de 2017
Blindado russo Tigr com o complexo de mísseis antitanque Kornet-D © Sputnik / Mikhail Klimentiev

Inicialmente, eles foram considerados como ataques aéreos, mas não havia aviões na área para promover essa hipótese, informou o canal Directorate 4, dedicado a monitorar atividades terroristas, no Telegram.

A agência árabe Al Masdar também citou um relatório militar sobre o uso do Kornet-D em diferentes partes da Síria.

Em um caso específico, Kornet-D foi "responsabilizado" pela destruição de um SUV de um dos grupos de oposição na província de Hama, a uma distância de 7 quilômetros.

As "queixas" dos terroristas são "compreensíveis", pois este sistema anti-tanque está entre os melhores do mundo pelas suas capacidades técnicas, afirmou aos jornalistas russos o cientista político militar russo e professor da Universidade de Economia Plekhanov, Andrei Koshkin.

"O alcance máximo de Kornet-D equipado com mísseis FM-3 é de 10 quilômetros. Ele é capaz de penetrar até 1.300 milímetros de armadura. Pode ser equipado com ogivas explosivas e termobáricas e é capaz de abater alvos aéreos", disse o especialista.

Além disso, os instrutores russos ensinaram bem os soldados sírios. Desse modo, a precisão e eficácia de seus ataques é bastante elevada. "Os seus principais alvos são os SUVs e os tanques blindados leves", acrescentou Koshkin.

Kornet-D é portátil e pode ser instalado em veículos blindados, inclusive no blindado russo Tigr.

O Kornet-D é uma evolução do sistema anti-tanque russo Kornet. Ao contrário de seus antecessores, o míssil é guiado por laser e, portanto, tem um alcance muito maior.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas