Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Su-27 russo teria se aproximado de avião dos EUA sobre mar Báltico

O caça russo Su-27 se aproximou do avião de vigilância Boeing P-8 Poseidon da Marinha dos EUA no espaço aéreo sobre a região do Báltico, comunicou o canal CNN, citando dois representantes das Forças Armadas norte-americanas.


Sputnik

O incidente ocorreu nesta quarta-feira (2), sobre o mar Báltico. De acordo com dados do canal, o Su-27 se aproximou a uma distância de seis metros da aeronave norte-americana, ficando perto dela durante nove minutos. 


Resultado de imagem para su-27 interceptação
Sukhoi Su-27 faz interceptação a aeronave dos EUA | Reprodução

"A intercepção foi descrita pelos representantes das Forças Armada dos EUA como segura, mas não profissional", especificou o canal.

Segundo um dos interlocutores do CNN, a Marinha oficialmente não utiliza a classificação de tais incidentes como "professionais" ou "não profissionais", usando somente os termos de "seguro" ou "não seguro".

Zach Harrell, porta-voz da Marinha dos EUA, preferiu não comentar a situação, contudo, afirmou que navios e aviões do Departamento de Defesa dos EUA "colaboram regularmente com unidades militares de outros países".

Por enquanto, a Sputnik não dispõe de comentário do Ministério da Defesa russo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas