Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Jornal alemão iguala Bundeswehr à 'armazém de peças de reposição'

Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) está em profunda crise, enfrentando uma grave falta de investimento, noticia o Suddeutsche Zeitung.
Sputnik

Segundo o jornal, 20% dos candidatos a cargos oficiais abandonam o serviço nos primeiros seis meses e a seleção de 8.500 voluntários previstos no plano para o serviço militar vem enfrentando mais e mais dificuldades com o passar dos anos.

Na lista dos problemas, a maior preocupação corresponde ao financiamento do exército alemão. Segundo a publicação, o orçamento da defesa para 2018, no valor de 38,5 bilhões de euros (R$ 170,9 bilhões) parece suficiente apenas à primeira vista — o exército não tem dinheiro suficiente. Metade do orçamento é usada para suprir as necessidades dos oficiais, uns 18% são destinados aos custos operacionais e apenas 13% do orçamento é investido nas compras de defesa.

Em particular, a publicação observa uma redução acentuada no número de tanques de 4.500 no final da Guerra Fria para 225 unidades. O dinheiro investido é…

Su-27 russo teria se aproximado de avião dos EUA sobre mar Báltico

O caça russo Su-27 se aproximou do avião de vigilância Boeing P-8 Poseidon da Marinha dos EUA no espaço aéreo sobre a região do Báltico, comunicou o canal CNN, citando dois representantes das Forças Armadas norte-americanas.


Sputnik

O incidente ocorreu nesta quarta-feira (2), sobre o mar Báltico. De acordo com dados do canal, o Su-27 se aproximou a uma distância de seis metros da aeronave norte-americana, ficando perto dela durante nove minutos. 


Resultado de imagem para su-27 interceptação
Sukhoi Su-27 faz interceptação a aeronave dos EUA | Reprodução

"A intercepção foi descrita pelos representantes das Forças Armada dos EUA como segura, mas não profissional", especificou o canal.

Segundo um dos interlocutores do CNN, a Marinha oficialmente não utiliza a classificação de tais incidentes como "professionais" ou "não profissionais", usando somente os termos de "seguro" ou "não seguro".

Zach Harrell, porta-voz da Marinha dos EUA, preferiu não comentar a situação, contudo, afirmou que navios e aviões do Departamento de Defesa dos EUA "colaboram regularmente com unidades militares de outros países".

Por enquanto, a Sputnik não dispõe de comentário do Ministério da Defesa russo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas