Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Lançamento do Submarino Riachuelo – S40 (VIDEO)

Hoje, 14 de dezembro, às 10h da manhã em Itaguaí-RJ, teve início a Cerimônia de Lançamento do Submarino Riachuelo, o primeiro de uma série de quatro submarinos convencionais e um nuclear que estão sendo construídos pela Marinha do Brasil. A cerimônia conta com a presença do Presidente da República.
Poder Naval

O nome do primeiro submarino, “Riachuelo”, é alusivo à Batalha Naval do Riachuelo, considerada decisiva na Guerra do Paraguai, com atuação destacada da Marinha do Brasil.


Acompanhe a Cerimônia em tempo real no vídeo no final deste post.
Prosub

O Brasil tem o mar como uma forte referência em todo o seu desenvolvimento. É nessa área marítima que os brasileiros desenvolvem as atividades pesqueiras, o comércio exterior e a exploração de recursos biológicos e minerais. A imensa riqueza das águas, do leito e do subsolo marinho nesse território justifica seu nome: Amazônia Azul.

A Amazônia Azul cobre uma área de 3,5 milhões de quilômetros quadrados. Mas o país pleiteia na Organização das Naç…

Submarino Riachuelo: Comando da Marinha do Brasil define o dia 12 de dezembro para o lançamento ao mar

O Comando da Marinha do Brasil (MB) definiu o dia 12 de dezembro de 2018, como data para o lançamento ao mar do seu primeiro submarino classe Scorpene (S-BR), o Riachuelo (S40), que vem sendo construído no complexo naval de Itaguaí (RJ).


Por Roberto Lopes | Poder Naval

Como ainda não há segurança absoluta de que tudo estará pronto para o evento neste dia – há uma dependência crônica da disponibilidade de recursos –, o 12 de dezembro vem sendo tratado como “data-tentativa”, e ainda não houve autorização para que a Força o anunciasse oficialmente.


Submarino Riachuelo fotografado na cerimônia de início da integração dos Submarinos da classe S-BR
Submarino Riachuelo fotografado na cerimônia de início da integração dos Submarinos da classe S-BR

As restrições orçamentárias para este ano também já fizeram a MB abandonar alguns planejamentos que a animavam, quatro ou cinco anos trás, quando tiveram início as obras do novo pólo militar de Itaguaí.

Na época em que se julgava factível transferir o Comando da Força de Submarinos (ForSub), da Ilha de Mocanguê, na Baía da Guanabara, para Itaguaí, imaginou-se ocupar as instalações hoje pertencentes à ForSub com os quadros do Comando de Operações Navais – e, especialmente, a sua “sala de guerra” (sala de situação tática), alimentada por dezenas de informações transmitidas via satélite.

Atualmente, todos esses planos estão congelados.

Mas a Marinha se preocupa em perpetuar a evolução da sua Força de Submarinos, o mais importante agrupamento de navios dessa categoria na costa sul-americana do Atlântico Sul.

Segundo o Poder Naval pôde apurar, ainda este mês o Centro de Comunicação Social da Marinha, sediado em Brasília, começará a coletar uma série de depoimentos de oficiais submarinistas que prestaram relevantes serviços à Arma Submarina brasileira. O objetivo é elaborar a história oficial da Força de Submarinos do Brasil.

Entre os nomes já elencados para fornecer esses dados estão os dos almirantes de esquadra Alfredo Karam (ex-comandante da Força de Submarinos e ex-ministro da Marinha), hoje com 93 anos, Fernando Eduardo Studart Wiemer, ex-comandante de Operações Navais, e Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior, atual diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas