Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Brasil comemora 20 anos do fim do conflito entre Peru e Equador

O Brasil irá comemorar nesta terça-feira os 20 anos do fim dos conflitos na fronteira entre Peru e Equador, que se prolongaram por quase 170 anos e que causaram várias guerras, tensões e enfrentamentos entre ambos os países.
EFE

Brasília - O Acordo Global e Definitivo de Paz entre Equador e Peru foi assinado em 26 de outubro de 1998 em Brasília, que voltará a ser palco de um encontro entre representantes dessas duas nações, mas agora para reafirmar "o valor e a eficácia da diplomacia e da solução pacífica de controvérsias", diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A cerimônia contará com a participação do equatoriano José Ayala Lasso e do peruano Fernando de Trazegnies Granda, que eram os chanceleres de seus países na ocasião da assinatura e tiveram participação ativa nas negociações, e será presidido pelo ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes.

Segundo a nota oficial, a comemoração "também evidencia, uma vez mais, a capacidade regional de responder e…

Tribunal dos EUA ordena que Irã indenize famílias de vítimas do 11 de setembro

O tribunal norte-americano ordenou que o Irã pagasse bilhões de dólares de indenizações aos membros das famílias de vítimas dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.


Sputnik

De acordo com a decisão do tribunal, a República Islâmica do Irã, o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica e o Banco Central do Irã foram considerados culpados pela morte de 1.008 pessoas, por isso as autoridades do Irã devem pagar indenização aos membros das famílias das vítimas do ataque, informou a edição The Hill.


Atentado de 11 de setembro em Nova York
Atentado de 11 de setembro em Nova York © AP Photo / Marty Lederhandler

O valor da compensação se difere dependendo do grau de parentesco: 12,5 milhões de dólares (R$ 40 milhões) aos cônjuges; 8,5 milhões de dólares (R$ 27 bilhões) a pais e filhos e 4,25 milhões (R$ 13,5 milhões) aos irmãos.

Embora a comissão especial de investigação do atentado não tenha encontrado provas diretas da participação do Irã nos ataques terroristas, o tribunal em Nova York considerou suficientes os argumentos que Teerã alegadamente patrocinou a Al-Qaeda (organização terrorista proibida na Rússia).

Os membros das famílias das vítimas dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 entraram com um processo contra o governo do Irã em 2004.

Segundo a edição, Teerã não pagaria as indenizações determinadas pelo tribunal norte-americano. Entretanto, a decisão permitirá que as famílias das vítimas recebam uma parte dos fundos apreendidos das contas das empresas e cidadãos iranianos pelos EUA.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas