Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Turquia diz que EUA têm responsabilidade no "massacre" em Gaza

O porta-voz do governo da Turquia, Bekir Bozdag, classificou como um "massacre" a morte de dezenas de manifestantes palestinos em Gaza nesta segunda-feira e acusou os Estados Unidos de terem tanta responsabilidade como Israel neste episódio.


EFE

Ancara - "O governo americano tem tanta responsabilidade neste massacre como o de Israel", disse Bozdag, em discurso transmitido pela emissora turca "NTV".


Resultado de imagem para Bekir Bozdag
Bekir Bozdag | Reprodução

Bozdag também afirmou que a Turquia nunca reconhecerá a mudança da embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém, cuja cerimônia oficial nesta segunda-feira motivou os protestos em Gaza, reprimidos a tiros pelo Exército israelense.

"Façam o que façam EUA e Israel, tomem as medidas que tomem, a Turquia as considerará inexistentes", disse o porta-voz, ao indicar que a mudança da embaixada americana "levará a mais tensão, falta de confiança, instabilidade, crise e confrontos".

"Jerusalém acabará sendo livre. Estados Unidos e Israel no final serão forçados a entregá-la aos seus verdadeiros donos", acrescentou.

O Ministério das Relações Exteriores da Turquia também divulgou um comunicado no qual condena "de forma taxativa" a mudança da embaixada dos EUA, a qual considera "nula de um ponto de vista jurídico".

"Ressaltamos que esta mudança, que ignora os direitos legítimos dos povos palestinos, destrói a estabilidade, a segurança e a paz regional", indica o comunicado, que lembra que a Assembleia das Nações Unidas já rejeitou "esta mudança ilegal" em dezembro do ano passado.

O líder opositor Partido Republicano do Povo (CHP, social-democrata) Kemal Kiliçdaroglu, pediu para que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, cumpra a sua promessa, feita em dezembro, de abrir uma embaixada turca para o Estado da Palestina em Jerusalém Oriental.

"Já se passaram meses e continuamos esperando. Querido Erdogan, como o senhor disse no Parlamento, por que não abre em Jerusalém Oriental uma embaixada para o Estado da Palestina? Quem o impede? Como secretário-geral do CHP eu te digo: se você tem coração, abra a embaixada e eu o aplaudirei", disse o líder da oposição turca.

Postar um comentário