Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Turquia promete permanecer na Síria e no Iraque até eliminar 'o último terrorista'

Turquia continuará as operações militares no norte da Síria e do Iraque contra formações curdas, declarou o presidente, Recep Tayyip Erdogan, durante um comício político.


Sputnik

"A Turquia continuará as operações na região para eliminar o último terrorista nos territórios no norte da Síria e no Iraque", disse Erdogan, citado pela Anadolu.


Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia
Presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan © REUTERS / Umit Bektas

O líder turco também disse que a Turquia está se tornando passo a passo o estado mais forte da região e em breve estará entre os maiores atores políticos internacionais.

Ao mesmo tempo, as tentativas de redefinir as fronteiras e estabelecer um novo status quo na área "são quebrados contra a vontade da Turquia e do povo turco", disse Erdogan.

Em 20 de janeiro, Ankara e seus aliados da oposição, Exército Sírio Livre, iniciaram em Afrin, no noroeste da Síria, a operação Ramo de Oliveira, visando atacar as tropas curdas (YPG).

Para a Turquia, a YPG são uma extensão do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), banido no país por ser considerado uma organização terrorista.

Em 18 de março, Erdogan afirmou que a cidade de Afrin está sob o controle dos militares turcos e seus aliados.

Damasco condenou a operação turca contra Afrin e sublinhou que a cidade é parte inalienável do território sírio.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas