Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

União Africana denuncia impactos do deslocamento da embaixada dos EUA a Jerusalém

A União Africana (UA) denunciou hoje que a realocação da embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém só pode aumentar as tensões na região e complicar a busca de uma solução duradoura para o conflito palestino-israelense.


Prensa Latina
Adis Abeba - Em um comunicado emitido a esse respeito, o presidente da Comissão da UA, Moussa Faki Mahamat, assegurou que observam com profunda preocupação a situação reinante nesses territórios depois da decisão unilateral de Washington de transferir a sede diplomática para a disputada cidade e lhe reconhecer como capital, no lugar de Tel Aviv.

Reprodução

Condenamos energicamente o uso desproporcional da força por parte do exército de Israel, que resultou no assassinato de mais de 50 manifestantes, enquanto muitos mais ficaram feridos, afirmou o texto difundido por Mahamat.

O titular reiterou por sua vez a solidariedade da UA com o povo palestino na busca legítima de um Estado independente e soberano com Jerusalém Oriental como sua capital.

Pediu nesse sentido esforços internacionais renovados e genuínos para encontrar uma solução justa e duradoura ao conflito, baseada na existência de dois Estados, Israel e Palestina, no marco dos pronunciamentos apropriados das Nações Unidas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas