Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

União Africana denuncia impactos do deslocamento da embaixada dos EUA a Jerusalém

A União Africana (UA) denunciou hoje que a realocação da embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém só pode aumentar as tensões na região e complicar a busca de uma solução duradoura para o conflito palestino-israelense.


Prensa Latina
Adis Abeba - Em um comunicado emitido a esse respeito, o presidente da Comissão da UA, Moussa Faki Mahamat, assegurou que observam com profunda preocupação a situação reinante nesses territórios depois da decisão unilateral de Washington de transferir a sede diplomática para a disputada cidade e lhe reconhecer como capital, no lugar de Tel Aviv.

Reprodução

Condenamos energicamente o uso desproporcional da força por parte do exército de Israel, que resultou no assassinato de mais de 50 manifestantes, enquanto muitos mais ficaram feridos, afirmou o texto difundido por Mahamat.

O titular reiterou por sua vez a solidariedade da UA com o povo palestino na busca legítima de um Estado independente e soberano com Jerusalém Oriental como sua capital.

Pediu nesse sentido esforços internacionais renovados e genuínos para encontrar uma solução justa e duradoura ao conflito, baseada na existência de dois Estados, Israel e Palestina, no marco dos pronunciamentos apropriados das Nações Unidas.

Postar um comentário