Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Alemanha busca incremento multibilionário de gastos militares

A ministra da Defesa alemã, Ursula von der Leyen, solicitou ao parlamento do país 15 bilhões de euros adicionais (R$ 64 bilhões) para as Forças Armadas alemãs até 2021, informou a edição Bild, citando um relatório confidencial do ministério. Além disso, Von der Leyen pediu outros €10 bilhões (R$ 43 bilhões) para 2022.


Sputnik

De acordo com as informações da edição, estes recursos são necessários para realizar mais de 200 projetos na área de defesa alemã.

Forças Armadas da Alemanha
Tropas alemães © AFP 2018 / John MacDougall

No orçamento alemão, os gastos de defesa ocupam o segundo lugar. Para este ano o governo destinou €38,5 bilhões (R$ 166 bilhões) para esta área, e para o ano que vem os gastos com a defesa crescerão até €41,5 bilhões (R$ 179 bilhões).

Entretanto, Von der Leyen vem exigindo que se aumentem os gastos militares do país até 1,5% do PIB (o que corresponde a €60 bilhões, ou a R$ 259 bilhões).

O presidente norte-americano, Donald Trump, insiste que a Alemanha, como país integrante da OTAN, aumente os gastos com necessidades militares até 2% do PIB até 2024.

Enquanto isso, a chanceler alemã, Angela Merkel, informou ao secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, que Berlim aumentará os gastos com a defesa até 1,5% do PIB até 2024, uma vez que, de acordo com ela, seria difícil para o país atingir o patamar de 2% nos próximos dez anos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas