Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Ataques aéreos deixam dezenas de mortos em província rebelde na Síria

Observatório Sírio de Direitos Humanos afirmou que 44 pessoas morreram em Idlib. Bombardeio teria sido feito pelos russos.


Reuters

Ataques aéreos contra um vilarejo da província síria controlada por rebeldes de Idlib matou ao menos 44 pessoas durante a noite. Esse foi o maior número de mortes em um ataque único na região neste ano, segundo informou nesta sexta-feira (8) o Observatório Sírio para Direitos Humanos.

Sírios caminham sobre destroços em Zardana, em Idlib, nesta sexta-feira (8)  (Foto: Omar Haj Kadour / AFP)
Sírios caminham sobre destroços em Zardana, em Idlib, nesta sexta-feira (8) (Foto: Omar Haj Kadour / AFP)

"Aviões de guerra, que provavelmente são russos, atacaram o vilarejo de Zardana, no norte rural de Idlib, durante a noite e causaram o maior número de mortes em um ataque único na região, incluindo 11 mulheres e seis crianças", disse o diretor do órgão de monitoramento da guerra, Rami Abdulrahman, segundo a Reuters.

O número de mortes ainda deve aumentar uma vez que os 60 feridos durante os ataques estavam em estado grave, disse. Equipes de resgate ainda buscam por sobreviventes debaixo de escombros.

O Observatório acrescentou que o número de mortos em Zardana pode aumentar nas próximas horas porque há feridos em estado grave e que é possível que sejam encontrados mais corpos sob os escombros dos edifícios, que foram danificados, de acordo com a Efe.

A província de Idlib está controlada quase totalmente por grupos opositores, islamitas e jihadistas, incluído o Estado Islâmico (EI), e é alvo de ataques por parte do Exército sírio, e seu aliado, a Rússia, além da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas