Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Blindado do Brasil é transformado em 'vulcão de fogo' por militares iraquianos

Durante o governo de Saddam Hussein, o Iraque era um dos maiores importadores de armamento brasileiro. Para combater o Irã, os iraquianos compravam sistemas de lançadores múltiplos Astros II, aviões de treinamento militar EMB-312 Tucano, bem como VBTP EE-11 Urutu.


Sputnik

Contudo, a estrela dos armamentos obtidos pelo Iraque do país latino-americano era o EE-9 Cascavel, apontou a revista on-line Russkoe Oruzhie. Ao todo, o Iraque comprou 250 unidades destes veículos blindados. Somente o exército brasileiro (415) e o líbio (380) tinham em seu dispor um número maior dos mesmos.

EE-9 Cascavel iraquiano | Reprodução

Diferente da maioria dos veículos blindados que se baseiam sobre lagartas, o Cascavel se move sobre 6 rodas. O veículo é capaz de alcançar uma velocidade de até 100 km/h e tem uma autonomia de mil quilômetros.

Suas funções principais são reconhecimento e apoio de fogo. Para estes objetivos, o veículo está dotado de um canhão de 90 mm e de duas metralhadoras de 7,62 e 12,7 mm respetivamente.

O blindado foi ativamente usado durante os anos da guerra entre o Iraque e o Irã e também participou da incursão em Kuwait em 2003. O Cascavel continua permanecendo em serviço operacional do Iraque, mas passou por certas modificações.

Assim, devido à falta de projetis, seu canhão foi substituído por um "tubo-lançador" para projetis reativos de 107 mm de produção chinesa. Por isso, foi necessário trocar a torre para que fosse possível operar o novo "canhão".

​De acordo com a edição, estas modificações podem parecer rudimentares, contudo, durante o lançamento desses projetis o Cascavel se converte em um autêntico dragão ígneo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas