Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Brasileiro é acusado por envolvimento em roubo de armas de quartel na Bolívia

Um brasileiro foi acusado pela Ministério Público da Bolívia de ter envolvimento em um assalto a uma base militar do país na fronteira com o Brasil.


EFE

La Paz - Odélio Becerra da Costa foi preso na segunda-feira em um bairro da cidade de Cobija, principal cidade do departamento de Pando, que faz fronteira com o Brasil. Ontem, segundo o Ministério Público, ele foi acusado pelos promotora Patricia Romero pelos crimes de roubo agravado de armamento e munição militar.

Pistola em foto de 2017. EFE/ Luca Piergiovanni
Pistola em foto de 2017. EFE/ Luca Piergiovanni

"Ele portava uma arma de fogo da Taurus, calibre 9mm, com um número de série TBV07752 (propriedade das Forças Armadas), com seu respectivo carregador", afirmou a promotora.

No último sábado, um grupo de dez bandidos, entre eles brasileiros e bolivianos, assaltaram o posto militar Bruno Racua, em Povernir, a 39 quilômetros de Cobija. Na ação, os assaltantes levaram nove fuzis AK-47, cinco pistolas, carregadores e munição.

Alguns soldados bolivianos foram feridos no ataque. Um deles levou um tiro no rosto, mas não corre risco de morrer.

O governo da Bolívia reforçou o departamento com a presença das tropas de elite da Polícia e do Exército. Além disso, investigadores foram enviados para a região para apurar o crime.

O ministro de Defesa da Bolívia, Javier Zavaleta, afirmou que os bandidos seriam parte do Comando Vermelho (CV). No entanto, o ministro de Governo, Carlos Romero, não confirmou a hipótese.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas