Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Caça ucraniano sobrevoa litoral a 10 metros de altitude (VÍDEO)

Neste sábado (3), na área do povoado ucraniano de Kirillovka, um caça da Força Aérea da Ucrânia Su-25 sobrevoou o litoral do mar de Azov a uma altitude extremamente baixa; testemunhas filmaram o voo e publicaram as imagens na web.


Sputnik

O vídeo mostra como o avião sobrevoa a borda da água a uma altitude de cerca de dez metros. Nesse momento, na praia se encontravam várias pessoas descansando.


Caça Su-25 da Força Aérea da Ucrânia
Sukhoi Su-25 da Ucrânia © Foto: Public domain/Dima Sergiyenko

De acordo com a edição Obozrevatel, na área do mar de Azov tiveram lugar manobras de várias unidades da Guarda Costeira ucraniana.

Durante as manobras, os aviões treinaram, em particular, a detenção de embarcações intrusas, ações de equipes de resgate em caso de incêndio em lancha, bem como o resgate de uma lancha que sofrera danos após combate com o "inimigo".

Nesta quarta-feira (30), o serviço de imprensa da Operação das Forças Unidas (OOS, sigla em ucraniano), das Forças Armadas da Ucrânia comunicou a decolagem de aviões militares ucranianos que participam da operação. Os aviões treinaram missões de apoio aéreo a outras unidades.

A OOS é a sigla para as ações militares empreendidas pelo governo ucraniano contra as repúblicas populares de Donetsk e de Lugansk, que proclamaram a sua independência em relação à Ucrânia após o golpe de 2014. Anteriormente, a operação tinha a denominação de ATO (operação antiterrorista).


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas