Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

Competição eterna: especialista comenta planos dos EUA de combater S-400 russos

O general norte-americano, James Holmes, revelou os planos dos EUA de combater o sistema russo de defesa antiaérea S-400. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o analista político-militar Aleksei Podberezkin chamou a situação de competição entre "escudo e espada".


Sputnik

Washington pretende juntar os esforços da Força Aérea e do Exército para encontrar um meio de enfrentar o sistema russo de defesa antiaérea S-400. Eis a declaração do general James Holmes, chefe do Comando de Combate Aéreo.

Os sistemas S-400
S-400 Triumph © Sputnik / Alexander Vilf

Para ele, os militares norte-americanos se preocupam com o alcance dos mísseis S-400 que, em comparação com o do sistema S-300, é muito maior.

Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o analista político-militar Aleksei Podberezkin comentou a declaração do general norte-americano.

"Não há nada de novo nos planos dos EUA. Nesse caso são desenvolvidos meios de ataque — de aviação e de mísseis, mas também muito rapidamente são aperfeiçoados os meios de defesa, tais como a antiaérea e antimíssil. Os mísseis S-400 é um meio de defesa. Muito moderno e avançado, mas de defesa: atacar com ajuda dos S-400 seria impossível, pois eles só conseguem se defender. É claro que terão que aperfeiçoar os sistemas de defesas antiaérea e antimíssil por serem aperfeiçoados os meios de ataque. Os mísseis de posicionamento de aviação, marítimo e terrestre — tanto de cruzeiro como balísticos, que agora estão sendo produzidos nos EUA, evoluem-se muito rapidamente, aumentando alcance, reduzindo superfície reflexiva da última modificação, dificultando detecção e voando muito mais baixo. Por isso a competição entre sistemas de defesa e de ataque, assim como escudo e martelo, sempre houve e nunca vai parar", concluiu.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas