Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Desconhecidos abrem fogo contra forças da coalizão e seus aliados na Síria

O representante da coalizão internacional anti-Daesh, liderada pelos EUA, disse à Sputnik que esta respondeu ao ataque de "forças inimigas não identificadas" perto de Al-Tanf, reportando que não houve vítimas.


Sputnik

"Combatentes do grupo Maghawir al-Thowra e conselheiros da coalizão foram envolvidos em um tiroteio na zona de redução de conflitos perto de Al-Tanf por forças inimigas não identificadas localizadas fora da zona, na tarde de 21 de junho", informou.

Militares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Al Tanf, no sul da Síria
Terroristas e militares dos EUA atuando juntos na Síria © AP Photo / Hammurabi's Justice News

Ele acrescentou que os combatentes do Maghawir al-Thowra e os conselheiros da coalizão tentaram parar o ataque e, para isso, desencadearam um contra-ataque, tendo as forças não identificadas parado então com o tiroteio.

Os representantes da coalizão entraram imediatamente em contato com os militares russos.

"Não há feridos entre os parceiros e a coalizão. Os representantes oficiais da coalizão estão em contato com os colegas russos da zona de redução de conflitos para não se cometerem erros", disse.

O tiroteio ocorreu um dia depois da coalizão ter realizado um ataque aéreo contra posições do Exército sírio na província de Homs. O ataque de surpresa tirou a vida de um oficial sírio, deixando alguns soldados feridos.

Desde 2014, a coalizão tem realizado ataques aéreos contra os chamados alvos do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países). A missão da coalizão não foi aprovada nem por Damasco nem pelas Nações Unidas. Atualmente, cerca de 2 mil militares dos EUA estão implantados na Síria.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas