Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

É relatada explosão perto de base militar franco-americana no norte da Síria

Nesta segunda-feira (4), o canal Kurdistan24 relatou sobre uma explosão perto da base franco-americana no norte da província síria de Raqqa.


Sputnik

De acordo com o canal, a base militar, onde estão instalados 200 soldados norte-americanos e 75 franceses, está localizada perto da cidade de Ayn Issa.

Forças dos EUA na Síria (foto de arquivo)
Tropas dos EUA na Síria © AFP 2018 / DELIL SOULEIMAN

Os motivos da explosão estão sendo investigados. Por enquanto, não há informações sobre vítimas ou danos materiais causados pelo incidente.

Segundo a edição turca do canal Kurdistan24, que citou fontes locais, o incidente teria sido causado por uma explosão de munições.

Entretanto, um comandante das FDS, que preferiu manter anonimato, comunicou à Sputnik Turquia que as informações sobre a explosão perto da base franco-americana não correspondem à verdade.

"De vez em quando efetuamos explosões de treinamento nas bases militares da região. É desta forma que treinamos nossos futuros combatentes a neutralizar minas e artefatos explosivos. Durante os exercícios, levamos a cabo explosões de minas sob o controle de sapadores", explicou.

O porta-voz das FDS, Mustafa Balli, também desmentiu para a Sputnik as informações sobre ataque ou ato terrorista na base em Ayn Issa.

"Se este incidente tivesse acontecido realmente, teríamos feito declaração no site oficial das FDS", assinalou.

A área de Ayn Issa é controlada pelas Forças Democráticas Sírias (FDS), apoiadas pelos EUA. O núcleo do grupo é constituído pelas milícias curdas YPG (Unidades de Proteção Popular), YPJ (Unidades de Proteção das Mulheres) e sua ala política PYD (Partido de União Democrática). Recentemente, as principais cidades da área controlada pelas FDS foram abaladas por uma onda de protestos contra a ocupação do território pelas FDS.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas