Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China desenvolve 2 novos bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, diz inteligência americana

A Força Aérea da China, que já tem dois caças furtivos, está trabalhando em dois novos projetos de aviões furtivos de médio e longo alcance, informou um relatório da inteligência militar dos EUA.
Sputnik

Os fabricantes de aviões chineses estão envolvidos em dois projetos de bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, informou a edição Aviation Week, citando um relatório da Agência de Inteligência do Departamento de Defesa dos EUA.


A existência de um desses projetos, H-20 ou H-X, foi confirmada pela Força Aérea Chinesa em 2017. Entretanto, não foi divulgada nenhuma informação confiável sobre o segundo projeto.

De acordo com o Pentágono, o segundo projeto, designado JH-XX, envolve o desenvolvimento de um caça-bombardeiro de médio alcance. O avião será equipado com radar AESA, mísseis ar-ar e mísseis ar-terra. Os especialistas em inteligência militar estadunidense acreditam que essa aeronave entrará em serviço da Força Aérea chinesa não antes de 2025.

No desenvolvimento desses novos aviões de comba…

Em que esfera militar Rússia supera Estados Unidos?

A Rússia supera os EUA na esfera de luta radioeletrônica e Washington precisará de tempo para superar este atraso, declarou na entrevista ao portal C4ISRNET o especialista norte-americano Samuel Bendett, do Centro de Análise Naval.


Sputnik

Segundo ele, os sistemas russos de luta radioeletrônica são uma tecnologia que a Rússia continuou desenvolvendo mesmo após o colapso da União Soviética. "As tecnologias norte-americanas, provavelmente, superavam os análogos soviéticos mas os EUA pararam o desenvolvimento de muitos meios de luta radioeletrônica por falta de ameaça por parte de Moscou. […] Como resultado, durante os últimos anos os norte-americanos enfrentam a impossibilidade de resistir aos sistemas russos de luta radioeletrônica e a operações complexas com o seu uso", opina Bendett.

Módulo multifuncional de interferência Krasukha 4 durante os exercícios na região de Sverdlovsk, Rússia (foto de arquivo)
Módulo multifuncional de interferência Krasukha 4 © Sputnik / Pavel Lisitsyn

O analista nota que, durante os últimos cinco anos, Moscou tem vindo a testar uma série de vários sistemas de luta radioeletrônica. Por exemplo, na Síria, de acordo com Bendett, foram testadas cerca de 200 tecnologias diferentes.

O especialista assinala ainda que a Rússia aplica uma abordagem de "proteção de muitos níveis" na República Árabe, onde, junto com estes sistemas, funcionam os radares de aviso prévio e sistemas de defesa antiaérea, tais como Pantsir-S. Tal tática há muito que provou sua eficácia, reforça Samuel Bendett.

Na Síria e no mar Negro, o exército russo, segundo ele, coleta e analisa ativamente os sinais eletrônicos de drones e mísseis dos países ocidentais. "Esta é a principal ameaça para a superioridade tecnológica ocidental, já que os sistemas russos de luta radioeletrônica podem aprender a combater o equipamento militar norte-americano, levando em conta os seus sinais eletrônicos específicos", sublinhou.

O especialista resumiu que os EUA podem superar o atraso tecnológico em relação à Rússia nesta área mas que isso levará algum tempo.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas