Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

Em que esfera militar Rússia supera Estados Unidos?

A Rússia supera os EUA na esfera de luta radioeletrônica e Washington precisará de tempo para superar este atraso, declarou na entrevista ao portal C4ISRNET o especialista norte-americano Samuel Bendett, do Centro de Análise Naval.


Sputnik

Segundo ele, os sistemas russos de luta radioeletrônica são uma tecnologia que a Rússia continuou desenvolvendo mesmo após o colapso da União Soviética. "As tecnologias norte-americanas, provavelmente, superavam os análogos soviéticos mas os EUA pararam o desenvolvimento de muitos meios de luta radioeletrônica por falta de ameaça por parte de Moscou. […] Como resultado, durante os últimos anos os norte-americanos enfrentam a impossibilidade de resistir aos sistemas russos de luta radioeletrônica e a operações complexas com o seu uso", opina Bendett.

Módulo multifuncional de interferência Krasukha 4 durante os exercícios na região de Sverdlovsk, Rússia (foto de arquivo)
Módulo multifuncional de interferência Krasukha 4 © Sputnik / Pavel Lisitsyn

O analista nota que, durante os últimos cinco anos, Moscou tem vindo a testar uma série de vários sistemas de luta radioeletrônica. Por exemplo, na Síria, de acordo com Bendett, foram testadas cerca de 200 tecnologias diferentes.

O especialista assinala ainda que a Rússia aplica uma abordagem de "proteção de muitos níveis" na República Árabe, onde, junto com estes sistemas, funcionam os radares de aviso prévio e sistemas de defesa antiaérea, tais como Pantsir-S. Tal tática há muito que provou sua eficácia, reforça Samuel Bendett.

Na Síria e no mar Negro, o exército russo, segundo ele, coleta e analisa ativamente os sinais eletrônicos de drones e mísseis dos países ocidentais. "Esta é a principal ameaça para a superioridade tecnológica ocidental, já que os sistemas russos de luta radioeletrônica podem aprender a combater o equipamento militar norte-americano, levando em conta os seus sinais eletrônicos específicos", sublinhou.

O especialista resumiu que os EUA podem superar o atraso tecnológico em relação à Rússia nesta área mas que isso levará algum tempo.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas