Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

Embaixador dos EUA critica cobertura internacional dos protestos em Gaza

O embaixador dos Estados Unidos em Israel, David Friedman, criticou nesta segunda-feira a cobertura que a imprensa internacional está fazendo sobre os recentes protestos na Faixa de Gaza e aconselhou os jornalistas a ficarem com "a boca fechada" se não tiverem uma alternativa à atuação de Israel.


EFE

Jerusalém - "Quando nove de cada dez artigos sobre o conflito em Gaza criticam Israel, eu acho que alguns jornalistas deveriam se reunir com especialistas para tentar entender o que poderiam ter feito diferente ou melhor antes de criticar", disse Friedman em uma coletiva de imprensa em Jerusalém, conforme o jornal "Times of Israel".

Resultado de imagem para David Friedman
Embaixador dos Estados Unidos em Israel, David Friedman | Reprodução

Friedman se perguntou de forma retórica o que teria acontecido em outro país que não fosse Israel e qualificou de "completamente superficial" a cobertura da imprensa desde que os protestos começaram na fronteira em 30 de março e nos quais mais de 100 palestinos morreram atingidos por israelenses.

"Com todas as críticas recebidas, ninguém identificou meios menos letais com os quais Israel poderia ter se defendido durante as últimas quatro semanas. Ninguém", disse.

O Exército considera que o movimento Hamas utiliza estas mobilizações para tentar romper a cerca, se infiltrar no país e cometer ataques.

Durante o seu discurso, Friedman afirmou que, apesar de tudo, "a liberdade de imprensa é vital para uma democracia", inclusive se não apoia as suas opiniões, e afirmou que "a crítica é jogo limpo".

Nesta sexta-feira as críticas internacionais aumentaram contra Israel depois que a enfermeira palestina Razan al Najar, de 21 anos, morreu atingida por tiros israelenses, enquanto atendia manifestantes feridos. O caso está sendo investigando pelo Exército.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas