Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Estes submarinos são um 'pesadelo para EUA', indica mídia chinesa

A mídia chinesa qualificou os submarinos russos do projeto 955 Borei como um "pesadelo" para os EUA. O portal Ifeng.com recordou os lançamentos com êxito de uma salva de quatro mísseis balísticos Bulava, cuja potência equivale a uma explosão de 160 bombas nucleares.


Sputnik

De acordo com analistas chineses, este lançamento foi a resposta da Rússia ao crescimento da presença militar dos EUA na Europa do Leste.

Submarino nuclear russo de classe Borei (foto de arquivo)
Submarino russo da Classe Borei © Sputnik / Sevmash

A edição destacou as características avançadas dos submarinos Borei: seu comprimento atinge 170 metros e o deslocamento supera 20 mil toneladas.

Além disso, são completamente silenciosos, o que torna sua detecção uma tarefa extremamente difícil. O portal chinês ressaltou que os submarinos russos superam consideravelmente os norte-americanos da classe Ohio.

Além do mais, cada um destes submarinos russos é dotado de uma arma terrível – os 16 mísseis balísticos intercontinentais R-30 Bulava. A parte dianteira do submarino contém 12 tubos de torpedos que podem ser usados para efetuar lançamentos de torpedos e de mísseis antinavio.

A edição acrescentou também que o submarino russo possui um considerável poder de fogo contra navios.

Os analistas chineses enfatizaram as características do míssil Bulava. Segundo eles, o míssil é a versão naval do Topol-M. Cada míssil é capaz de portar de 6 a 10 ogivas que possuem uma alta capacidade de destruição, podendo superar a defesa antiaérea do adversário.

A trajetória imprevisível de voo torna o míssil praticamente invulnerável.

O portal chinês concluiu que todas as características acima mencionadas fazem com que os novos submarinos russos sejam os mais temíveis em todo o mundo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas