Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

EUA ameaçam responder a possível ofensiva de Damasco no sudoeste da Síria

O Departamento de Estado norte-americano fez uma declaração nesta quinta-feira prometendo dar uma resposta decisiva caso o Exército Sírio lance uma operação na zona de desescalada do sudoeste do país.


Sputnik

A diplomacia dos Estados Unidos pediu à Rússia que impeça o governo sírio de realizar uma ofensiva na região, ameaçando reagir.

Soldados do Exército Sírio em um BMD-1 no campo de refugiados palestinos liberados de Yarmouk, ao sul de Damasco
Tropas sírias © Sputnik / Mikhail Voskresenskiy

A Rússia, os EUA e a Jordânia concordaram em julho passado em estabelecer as chamadas zonas de desescalada nas províncias de Daraa, Quneitra e Suwayda, no sudoeste da Síria.

"Os Estados Unidos continuam preocupados com relatos de operações iminentes do governo sírio no sudoeste da Síria, dentro dos limites da zona de desescalada", declarou o Departamento de Estado. "Afirmamos novamente que os Estados Unidos tomarão medidas firmes e apropriadas em resposta às violações do governo sírio nessa área".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas